Por isso caras não quer um relacionamento

Sobre relacionamentos (ou a falta deles)

2020.11.23 03:42 nuncasoube Sobre relacionamentos (ou a falta deles)

Em mais de 25 anos de vida eu nunca tive um relacionamento amoroso. Coleciono rejeições e amores platônicos. Achava que com o tempo conheceria alguém legal que valesse a pena, mas a vida é mais complexa que a gente pensa.
Hoje eu vejo que não sou do mundo dos relacionamentos. Primeiramente, não me dou bem com esse modelo atual, parece um supermercado onde você escolhe o que pode comprar e o que quer comer. Nada contra, apenas não me encaixo. Talvez isso se justifique pelo fato de eu nunca ter me dado bem nessa. A última (e primeira*) vez que beijei na vida foi no começo do ano passado, pra mim foi incrível, eu era louco por ela e sempre sonhei com esse momento. Já pra ela, deve ter sido horrível beijar um cara inexperiente que só sabia bater dente.
Outro ponto é a minha autoestima, a falta dela para ser mais justo. Eu nunca me achei o suficiente para ninguém, me olho no espelho e vejo um cara feio, fracassado, desinteressante, tipo um NPC. Não tiro foto por saber que sou feio. Tentei conhecer alguém nos aplicativos de relacionamentos, não deu certo.
Por fim, eu não sei relacionar, das vezes que eu gostei de alguém eu nunca consegui (ou sabia) falar "gosto de você". Sempre tentava bancar o cara legal e era jogado pra escanteio. Não sei flertar, não sei beijar não sei fazer nada.
Eu não tô desesperado pra fuder alguém. Só sinto falta de me apaixonar por alguém, mesmo que seja pra dar errado. Já sei que vou morrer sozinho e não tem muito o que fazer.
submitted by nuncasoube to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 01:08 bombarril Ruim com ela, pior sem ela

TL;DR: terminei hoje, eis aqui um longo desabafo.
Hoje de tarde pedi um tempo para minha então namorada. Nossa relação estava me fazendo mal, e os momentos bons eram tão raros que não compensavam o esforço. Mas como me dói... Eu ainda amo aquela menina, e sei que ela realmente estava tentando ser uma boa namorada para mim, só que eu não acho que ela possa simplesmente mudar o jeito dela, nem acho que isso seja correto.
Eu sinto falta de quando a gente era amigo. Tudo era tão mais fácil... A gente se via, comia junto, dava risada, assistia um filme. Depois disso, íamos cada um pra sua casa, sem compromissos, sem discussões. Só coisa boa. Começamos a namorar e começam as expectativas um do outro. Eu nem sei se eu pedia demais, sabe? O que me motivou a pedir um tempo foi a falta de interesse dela.
Eu sei que ela tem seus compromissos, e que o pai dela é um pé no saco, mas poxa, já estamos há 20 dias sem se ver, e moramos perto. Eu também tenho meus compromissos, e conseguia sempre arranjar um espacinho para acomodar algum encontro ocasional. Eu propunha encontros sempre, sempre. Na amizade a gente se via umas 3 vezes por semana. Começamos a namorar e passamos a nos ver aos fins de semana. Depois só de domingo. Estamos há algum tempo nos vendo domingo sim, domingo não. E pra mim isso simplesmente não dá. E quando a gente finalmente se vê, ela age tão distante... Ela não segura minha mão nem me beija. Se eu ganhar um selinho é muito. E mesmo que eu só abraçasse ela pelo resto da minha vida, por mim isso não seria problema, sabe?
Eu me sinto... descartável. Toda vez que eu planejo um encontro e ela me fala uma das 3 clássicas, eu fico bem mal.
  1. Estou ocupada
  2. Meu pai não deixa
  3. Não quero
E ela? Tanto faz. Ela mesmo me disse isso uma vez. Não fazia diferença se ela me visse ou não. Ela estava contente apenas trocando mensagens. A gente praticamente webnamora, embora moremos na mesma cidade e sejamos maiores de idade. Ela é um amorzinho por mensagens, responde rápido e a qualquer hora, sempre dizendo que me ama e que me quer na sua vida. Mas ela fala uma coisa e age de outro jeito... Sei lá. Peço pra fazer call e parece que eu tô pedindo o cu dela. Sempre um sacrifício pra ela fazer qualquer coisa. Convido ela para jogar o jogo favorito dela, pq eu tô com saudades, e ela várias vezes me diz q n ta a fim ou q tem mais oq fazer. Daí em questão de 1h eu vejo e ela ta la jogando solo q. Ah, mas vsf. Eu valorizo demais o tempo q eu passo com ela, seja oq for. Pra vc ter uma ideia, eu já fui até em velório pra outra cidade com ela. Odiei, foi péssimo, mas eu fui pq era com ela. A companhia dela me motivou. Agora ela? KKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Uma vez eu tava NA RUA DELA, e falei:
"Amor, tá em casa?"
"Tô, pq?"
"Tô aqui em frente kkkkk. Vem aqui"
"Não posso"
"Como assim?"
"Tô ocupada agora, não vou sair aí"
Eu chorei. Estava morrendo de saudades. Eu sou meio trouxa, eu admito.
Sei que ela era fiel. O problema real dela é a depressão. Ela sofre com isso desde a amizade, e eu sempre fiz meu melhor pra ajudar ela com isso. Sei que provavelmente seria bom pra ela que eu continuasse vivendo este relacionamento, mas honestamente, pra mim não dá mais. Choro quase todo dia, passo um puta nervoso, pq ela simplesmente se isola de mim e de todo mundo. Preferia ainda ser o amigo dela. Ser seu namorado tem sido desgastante.
Enfim, pedi um tempo pra ela hj de tarde, após mendigar pela terceira vez no dia se eu poderia ver ela. De manhã, ela disse q n sabia, q ia ver. No almoço, disse que faria faxina e q só se fosse mais tarde. Daí fim de tarde ela me diz q nem fez faxina, e que n ta fazendo nd, mas q a gente n ia se ver msm. Isso a gente estando há VINTE dias sem se ver. Daí eu tiltei. De modo educado, claro.
"Sério. Pra mim não dá mais. Não aguento mais esse sufoco pra simplesmente ver a sua cara. Eu quero um tempo."
A resposta dela?
"Tudo bem, eu compreendo. O que quer que você ache melhor para vc"
Não nos bloqueamos nem nada. Só não nos conversamos, e planejo tratar ela como uma conhecida por algum tempo, enquanto eu organizo minha cabeça, e ela a dela.
O que eu realmente espero com isso é que ela mude de ideia sobre tudo, e comece a me valorizar. Mas eu n acho q isso vá acontecer. Acho q acabaremos n voltando mais.
O que me dói, honestamente. Sei que todo mundo deve dizer isso, mas é minha primeira namorada e eu n consigo imaginar outra pessoa em seu lugar. Eu vou provavelmente procurar alguém muito similar, e comparar essa pessoa à minha ex. Eu simplesmente amo ela, conheço tudo dela, sei de tudo que ela gosta e de que ela não gosta. Sei dos podres, dos problemas, dos medos. E ela os meus.
Caras, aiai. Eu amo ela como eu amo minha irmã, como eu amaria uma filha. Eu quero tanto ela bem, puta merda. Eu tô mto dividido, queria que ela fosse diferente. É só... Mas é tão difícil...
Antes fosse só ela o problema. O pai dela me detesta por várias e várias razões. Eu tenho que ouvir as abobrinhas dele toda vez que cogito algo que ele não aprove, além do que ele já critica meu jeito e minhas atitudes. Ele me culpa por tanta coisa que eu nem tenho nada a ver...
Queria nunca ter pedido ela em namoro, gente. Acho que é isso. Sinto falta da minha amiga, e da minha paz de espírito.
submitted by bombarril to desabafos [link] [comments]


2020.11.19 16:45 Sweet-Beat-785 Adultos que se relacionam com adolescentes na Web.

Oiii gente, gostaria de pedir a opnião de vocês... eu namoro uma garota que tem atração por caras mais velhos, e isso me deixa inseguro, pois não tenho nem perto a idade que ela diz se sentir atraída, eu tenho medo de não ser o que ela realmente quer e isso é chato, ela tem 15 e gosta de caras de 25 por exemplo. O pior de tudo é que eu acredito que um adulto se relacionar na internet com uma de menor só acontece pq é web e na vida real ele não tem capacidade de achar alguém da idade dele e acha mais fácil ficar com uma adolescente e conseguir nuds e etc, não acho que teriam coragem para assumir um relacionamento, geralmente é aquela historia de que eles são maduros mas não tem nada de maduro em um adulto se relacionar com uma de menor. Não sei se estou certo, but, gostaria da opnião de vocês, desde ja agradeço sz
submitted by Sweet-Beat-785 to desabafos [link] [comments]


2020.11.18 15:56 CaregiverNarrow Sogra

Tenho um relacionamento a distância a quase dois anos (distância mesmo, mais de mil kms). Para dar um contexto nós éramos melhores amigos por quase 10 anos, nos conhecemos em um RPG e a afinidade dos nossos interesses fez nos aproximarmos. Nos conhecemos pessoalmente a uns quase 3 anos atrás, na mais pura Friendzone, fui a casa dele visitá-lo e a mãe dele me tratou muito bem e tals, passou-se um período após nos conhecermos e ele me pediu em namoro.
Nós nos víamos a cada dois meses praticamente, um ele vinha até minha casa e pulando o seguinte eu ia. Recentemente não nos vemos desde o início do choronavirus, até aí tudo bem, ele mora com a mãe dele que tem alguns problemas de saúde, fora o fato de ser filho único. Eu tenho minha casa na frente da dos meus pais, tecnicamente eu moro sozinha, mas minha mãe esta todos os dias na minha casa. Bom, por se passar tanto tempo estávamos nos programando para ele vir aqui agora este mês de novembro, com TODOS os cuidados do mundo, ninguém das nossas famílias pegou o dito vírus, mas me obriguei a ter a rotina de trabalho de novo. Estava quase certo de que ele viria, e que eu iria para lá em janeiro, pois foi pra quando eu adiei minha passagem comprada de maio. Porém, ele começou a se enrolar se enrolar e finalmente num climão de suspense ele diz que não pode mais vir porque a mãe dele não quer, porque ele vai pegar o troço no avião e levar pra ela. Eu até entenderia a preocupação dela se não fosse pelo fato de ela sair quase todo dia para academia, trabalho e mercado. Relevei, afinal quem sou eu na fila do pão, porém tive que cancelar minha passagem de janeiro, pois ela também não quer que eu vá pra la obviamente, mas meu namorado esta batendo o pé que em janeiro ele vem comemorar nossos dois anos de namoro.
O "problema" só não é este, mas sim que meu namorado deixou escapar que da primeira vez que ele veio ela não queria que ele viesse e incomodou ele todos os dias que ele tava aqui, brigando com ele, que iria ficar um número x de dias e acabou voltando antes. E todas as vezes que ele vem ela implica, porém quando estou lá ela é uma santa. Eu então, não sei se ela me odeia, não sei se brigo com o coitado pra ele se impor mais, afinal ele já tem seus 24 anos, não é um bebê da mamãe, ou me abstenho e finjo demência. Apesar de tudo isso eu gosto dela, afinal é a mãe do cara que eu amo, mas essas situações me deixam triste, não é como se eu fosse roubar o filho dela e já deixei isto claro, mas também não quero ser trouxa.
submitted by CaregiverNarrow to desabafos [link] [comments]


2020.11.18 05:43 pop-sky-12 Me sinto amarrada num relacionamento que não quero mais.

Gente eu já desabafei sobre isso algumas vezes (não aqui) e tô quase me sentindo aquela pessoa chata que fica reclamando mas não resolve o problema. Mas não queria opinião de homem, pra ser sincera. Tenham paciência comigo eu tô sensível kkk
[ COMEÇO DO RESUMO]
Resumo: Eu e o meu namorado fomos o casal exemplar por uns 4 anos. Todo mundo dizia que a gente era perfeito e etc. Cursamos o mesmo curso na mesma faculdade, mesma turma. E meu namorado logo no segundo ano resolveu que não queria mais saber do curso, que a vida dele era horrível, que ele não tinha sucesso nenhum (mesmo tendo só 23 anos), que as pessoas não notavam ele...
Então quando ele queria trocar de curso e eu falei "tranca", ele brigou comigo e disse que eu era insensível com a situação e que esperava mais compreensão de mim. Na hora estávamos virando uma madrugada de véspera de entrega e eu tinha que fazer o trabalho E consolar ele.
Ele gosta de atenção (ascendente em leão, alguém?) e reclama quando ninguém da nossa turma liga pra ele. E se sente inseguro quando olham e fazem cara de que não gostam. E reclama disso, e como reclama! meu deus do céu...
No começo da pandemia ele surtou por causa da faculdade e eu recomendei que ele fosse atrás de um psicólogo pq eu já não tinha mais disposição, energia ou vontade de debater o mesmo assunto novamente. Pra surpresa de ninguém ele surtou pra cima de mim e nessa hora a bolha do amor fez POP e desde então eu estou absolutamente desencantada.
[FIM DO RESUMO]
Final de outubro, após não nos vermos desde o começo da pandemia, nos encontramos. Minha auto estima tá uma merda, desde que eu entrei na faculdade eu engordei e não consigo me aceitar, mas fui arrumadinha no limite das minhas energias.
Eis que ele me chega com uma touca aleatória de bichinho na cabeça pq tinha raspado o cabelo e não tinha gostado. Isso num calor de quase 30 graus. Eu nunca agradeci tanto estar de máscara pq eu dei aquela torcidinha na boca de desgosto.
Sei lá, a gente tem que ser adulto pra lidar com as consequências não? Eu mesma já tive o cabelo picotado por mto cabeleireiro ruim e botei a cara na rua pq fazer o q, o mundo não para né. E outra: ele tava absolutamente normal de cabelo raspado.
Passeio vai, passeio vem e eu só percebendo o quanto a situação toda tava me deixando desgostosa. Perguntava "e aí, vamos fazer o q?" e ele respondia "não sei, tô te seguindo kkkk". A gente andava e mesmo eu anunciando "vamos no lugar X" e ia na direção, ele trombava em mim pq não sei. Ele não presta atenção em duas coisas ao mesmo tempo, eu acho.
O ápice foi quando subimos a escada de uma loja e ele enfiou a mão por debaixo da minha saia e apertou a minha bunda do nada. Sem contexto. Sem nem um clima. O que me fez lembrar na hora de uma vez que estávamos trocando uns beijos na faculdade, lá no nosso quarto mês de namoro, e ele levantou a minha blusa e sutiã e eu tenho certeza que uma galera me viu pelada. E quando eu me escondi e briguei, tudo que eu ouvi foi um "desculpa" de alguém que parecia que ia chorar a qualquer momento só por eu estar me impondo.
Nessa hora eu só desisti do passeio que tava mais sem rumo que o meu futuro. Aproveitei q n botava a cara na rua fazia mais de oito meses e fui comprar algumas coisas que eu queria (já que qualquer lugar pra ele tava bom). E ainda bem que ameaçava chover e a gente se despediu e foi cada um para o seu rumo.
"ah mas ele deve ser FODA na cama, não?". Não. Quatro anos de relacionamento e nunca gozei com ele. Quatro anos e ele sempre quer só deitar na cama e eu que lute pra fazer tudo.
E eu tô exausta disso sabe?
Ele ficou de cama por mais de um ano quando a namorada anterior dele terminou. Sempre que eu tento debater todas essas coisas que me chateiam, ele ou chora ou me olha com cara de choro e pergunta "você acha mesmo que eu faço isso?" e eu me sinto cansada. Mas não quero na minha consciência saber que ele provavelmente vai ficar doente e eu vou ser a causa.
Tô cansada das mesmas coisas e de só eu buscar novas. Novos passeios. Novas coisas pra fazer. Novas posições. Novos lugares para visitarmos. Maneiras diferentes de demonstrar carinho. De ele sempre me apertar descaradamente na rua e falar "você é a maior gostosa" toda. Santa. Vez. Que. A. Gente. Sai. Bônus: ele não sabe pegar nos meus peitos sem me machucar e em mais de uma situação eu já tentei mostrar pra ele como é.
Tô cansada de me sentir com medo de sair desse relacionamento sem rumo. De tentar olhar pra ele e pensar "quais foram as qualidades que te atraíram nele?" e não conseguir pensar em nada pq desde o surto psicológico do começo da quarentena, só consigo ver defeitos.
Tô cansada de me sentir feia e velha (tenho 26 anos) para tentar algo novo. Mas hoje saí para uma entrevista de emprego e o entrevistador ficava sem graça sempre que eu sorria (mesmo com a máscara, mas eu tenho bochecha grande e acho que dava pra saber os momentos que eu tava sorrindo) e eu fiquei pensando "porra, talvez eu não tenha que ficar penando igual a uma coitada nessa vida não..."
Sempre fui a mais santinha das minhas amigas. Tenho zero experiência com outros caras. Nunca terminei antes. Na minha cabeça eu ia morrer com esse namorado e isso tava bom pra mim. Mas acho que a distância me fez ver que não, eu não tava feliz com isso. Eu só tava tolerando e até a tolerância acaba.
Mas eu me sinto perdida de tudo e nem sei mais o que pensar. Antes eu conseguia ficar quieta sobre isso mas agora tá cada vez mais frequente a minha necessidade de botar isso pra fora do peito.
Sempre ralei pra caramba. Não me importo de ir limpar banheiro se eu precisar de grana. Lutei muito pra entrar numa faculdade de qualidade. E ele tem tudo dos pais desde sempre. Mora a 15min da faculdade (e eu a 2h). Reclama de dormir "só" 7h por noite. E eu, antes da pandemia, dormia em média de 4h a 5h. Sexta feira quando eu ia pra casa dele, só conseguia dormir. E ele veio me chamar pra conversar pq "a gente sempre transou de sexta, a vida sexual é importante, não tô te entendendo, você não me deseja mais?" e eu só conseguia pensar que tinha magoado ele e expliquei que estava cansada. Hoje só consigo pensar "por NENHUM segundo passou pela cabeça dele que eu tava exausta por causa da minha rotina de filha da puta".
Ah, e tem mais essa. As coisas óbvias.
Eu tenho que explicar tudo. Inclusive que ele não pode comer de boca aberta em público.
Não tenho mais saco pra explicar. Será que existe homem que vem com o básico já instalado? Isso é de deixar qualquer uma doida (ai n digam q sou só eu pfvr). E ainda tenho que ouvir ele querer retrucar. "Pq n pode comer de boca aberta?". Não sei querido, a etiqueta diz que não pode.
Tô me sentindo uma adolescente sonhando com um cara que saiba essas coisas de preset e que não me faça sentir como se eu fosse uma mãe, tendo que explicar absolutamente tudo. Mas no fundo tenho medo e muito, muito cansaço. Me sinto imobilizada. E tem horas que só tenho vontade de deixar a maré me levar.
Obrigada por lerem essa Bíblia.
SITUAÇÃO BÔNUS E CRINGE SE VOCÊ TIVER SACO: normalmente minhas amigas choram quando eu conto essa história.
Uma vez depois de transarmos (mal), fui para o banheiro passar uma água no rosto. Ele mora com os pais mas ele tem um banheiro só pra ele. As toalhas todas tem cheiro estranho mas julgolava que era um combo de má ventilação com pouco sol.
Lavei o rosto e sequei na toalha de rosto. Ele entrou no banheiro e começou a lavar o pau na pia. Fiquei bem "ECA!" mas ele falou que era normal e que todo cara fazia isso. Depois ele pegou a toalha que eu tinha acabado de usar pra secar o rosto e continuou a limpar o pau nela.
Eu surtei. De verdade. Não só pq sou toda regrada na limpeza e cuidado do meu rosto. Mas também pq isso não se faz.
E tudo que ele foi capaz de falar foi "mas você põe o pau na boca" e "todo cara faz isso". Eu tive que LITERALMENTE explicar que existe um contexto pra eu botar o pau dele na boca e que ngm que vem na casa dele merece limpar o rosto e a mão na toalha mofada de pinto dele.
Minhas amigas que tem mtos amigos levantaram a pesquisa e até eles ficaram com nojo dessa situação.
Argh me dá vontade de morrer só de lembrar essa história. Me sinto uma idiota por não ter sacado tudo ali naquele momento.
submitted by pop-sky-12 to ClubeDaLuluzinha [link] [comments]


2020.11.17 16:09 miss_pequi Eu não sei o que pensar

Há algum tempo fiz um desabafo aqui sobre ir me encontrar com um cara que conheci na internet.
Eu fui! rsrs
Viajei mais de 15h, deu uma zebra na hospedagem mas no fim consegui um hotel, nós nos encontramos e foi ótimo. Aquela conexão não era só na internet.
Ele é uma cara incrível, embora muitas vezes nem ele perceba isso.
Ficamos 3 dias grudados, e eu juro que há muito tempo na minha vida não sabia o que era se sentir bem e protegida perto de um cara.
Apesar de tudo, antes mesmo de nos encontrarmos a gente já tinha falado sobre relacionamento. E que o que temos não tem obrigação nenhuma de virar nada, que seríamos livres. Afinal moramos longe... essas coisas.
E ao nos despedirmos, quando vim embora, assim ficou combinado.
O que acontece é que ele sempre me questiona comentários feitos por outros caras nos meus posts ou nas inteirações num grupo que participamos. Quero deixar claro que não são comentários explícitos mas denotam interesse em mim.
Da última vez que ele veio questionar um comentário eu fiquei muito chateada, primeiro pq não era flerte. Segundo pq o cara é meu amigo e casado, e ele sabe disso. Terceiro pq eu vejo as garotas flertando com ele no grupo e ele respondendo e eu nunca falei absolutamente nada.
Já deixei bem claro que não tenho interesse em ninguém e que se isso acontecer ele vai ser o primeiro a saber.
E além disso, lá no grupo, todo mundo vê como a gente se trata, de um marcando o outro em posts carinhosos e safados. Da forma carinhosa e até apaixonada que nos tratamos.
Ele já admitiu que sente ciúmes mas eu não tô sabendo lidar com isso. Ainda mais pq ele flerta muito por lá.
Eu não quero de jeito nenhum magoar ninguém, e muito menos ser magoada.
Talvez se ele realmente dissesse o que quer de mim...
submitted by miss_pequi to desabafos [link] [comments]


2020.11.17 07:49 redof089 Ajuda com Amiga

Boas pessoal...Vou tentar ser rápido...
Eu tenho tipo a minha melhor amiga que está num relacionamento abusivo (n fisicamente)... resumindo o cara, não deixa sair com as amigas, não a deixa ter amigos, não a deixa ir a jantares/almoços onde possam ter homens, ele é mto possessivo e ciumento, penso q até acesso ao telemóvel dela tem, vê as msgs dela e os emails....ele quer ser dono dela, ela sempre foi livre e independente que n gostava de dar justificações a ng.... Eu sou homem, sempre fomos tipo os melhores amigos, apoia-mos e nos ajudamos mto... ele n deixa ela falar cmg, ela vai falando sempre que ele n está...Com a pandemia ela perdeu o emprego e até tenho ajudado ela, faz hoje 1 semana que ela precisava de colocar um aparelho nos dentes (ele ia ter com ela nesse dia), ai eu é q ia emprestar, então mandei uma msg normal para ela a perguntar quanto ia precisar, ele soube que ela recebeu uma msg e que era minha (para ele nós n falamos, mas falamos como amigos nada mais)..Ela achou melhor me bloquear no whats, enquanto ele lá estivesse com ela no apartamento que ela está, que até fui eu que aluguei, pq as coisas dela em casa n estão fáceis e está sem trabalho... Eu até entendi (acho ridículo o que ela está a passar), eu sei q ela gosta dele, mas n me parece que esteja a ver bem isto tudo, devo dizer alguma coisa?
Eu ainda estou bloqueado, pq ele ainda lá está, mas eu me dou mto bem com a mãe dela, ela tb já me tinha dito que a irmã está passar por ansiedade e depressão (eu tb já passei por isso), a mãe me disse que a irmã queria ser internada, mandou até print do que enviou para a minha amiga a dizer que se ia suicidar (está a ser acompanhada já), eu sei o q a irmã significa para a minha amiga, que uma vez me disse que s matava se a irmã morresse... Ontem a mãe tb me contou que a minha amiga está com suspeitas de COVID.... Cara isto é mto complicado, pq tenho medo de mandar uma msg normal (sem ser no whatss que ainda estou bloqueado) a perguntar como ela está pq nós somos amigos, eu n mando pq tenho medo que o "namorado" ainda lhe faça alguma coisa e n me perdoava se alguém lhe fizesse mal por minha causa... Cara nem a mãe gosta do namorado dela, pela forma que ele é, ainda a semana passada terminou com ela só pq foi sair com as amigas...

Eu n sei o que devo fazer, isto me provoca ansiedade e nervosismo, pq gostava de saber s ela está bem se precisa de alguma coisa... e tb tenho medo pq a amizade dela significa mto para mim, que o "namorado" tenha feito a cabeça dela de tal forma que nunca mais vai falar cmg...
O que acham que devo fazer? Quando ela me desbloquear vou dizer como isto tudo me faz sentir...
Eu prometi a ela, que n a ia deixar "sozinha" nesta fase difícil dela mas isto tb n é fácil para mim, tb estou a passar uma fase complicada, e esta situação toda com ela me deixa confuso.
submitted by redof089 to desabafos [link] [comments]


2020.11.16 23:08 ttmorais Eu to muito puta, cansada e triste

Cara ontem eu e meu parceiro fomos na casa da irmã dele. Aproveitamos a votação e fomos dar uma passada lá. Nos não estamos no nosso melhor momento uma vez q eu e ele estamos morando com meus pais pq com essa pandemia agente teve q entregar nosso apartamento. Ok... a vida tá difícil, mas estamos seguindo. Ele bebeu muitooooo álcool e como essa situação deixa ele fragilizado ele começou a falar um monte de coisas e a chorar, dizendo q tudo ta uma merda q está sem perspectiva q isso q aquilo. Eu não ligo para o fato dele desabafar acho até bom so me deixa PUTA msm é as circunstâncias, sabe beber dessa forma e usar desse momento para demostrar a fragilidade eu simplesmente não gosto. Sabe eu chamo tanto pra conversar espaço pra se abrir não falta com todo mundo ele é fechado pq ele quer. Não aprovo isso acho q a pessoa se transforma não é isso q eu quero ter q enfrentar na minha vida, já tenho muitos problemas pra um parceiro bebum. Eu to cansada já disso... ele age como se agente fosse os santinhos sabe... agente fez muita merda errada em nossas vidas agora eu vejo como uma oportunidade de mudar de ter humildade paciência e trabalhar, so colhemos oq plantamos. Só isso... eu to cansada dessa coisa megalomaníaca dele querer ter dinheiro e agir em fusão, e não como consequência de algo ñ é viver só em fusão disso e não de fazer algo q o deixe feliz. Isso acaba com o psicológico de qualquer um, e derruba uma relação. Ele mal sabe oq quer oq realiza ele. E isso acaba tornando ele superficial sabe... músculos, viajem, saidinhas, comidas, roupas caras. Ele gastou foi mais de 30 mil com essas coisas e não constituiu nada na vida dele. E eu fui junto... Quando agente era novinho era tipo ok.... imaturos tem casinha dos pais né legal vamos gastar dinheiro com qualquer merda pra se divertir. Mas na fase vamos viver uma vida a dois pesou sabe... não dava mais pra ter a msm vida. Não vou dizer q foi fácil pra mim pq costume é foda, mas eu me adaptei eu aprendi como tento aprender hoje que a vida não é do jeito q agente quer com as coisas q queremos na hora q queremos e que bom pq senão seria um caos. Eu sempre fui uma pessoa muito pé no chão pra caralho, eu sempre me dediquei as coisas q tentava mas eu nao consego mudar o jeito dele nem posso ser a culpada pq eu tentava dizer não faz isso não faz aquilo mas não adiantava, ele precisa quebrar a cara pra ver. Tudo q passamos estamos colhendo de escolhas mal feitas. Não somos anjinhos nenhum. Pra sair por aí chorando achando q merecemos mais da vida q a vida é injusta conosco e q ele pensa muito em mim e nos pais dando uma de herói. Ninguém pediu pra ele ser herói ninguém depende tanto dele assim ele nem sequer procura a porra dos pais, ele faz as coisas q não gosto como na hora de beber e encher a cara e não ter responsabilidade pra ir trabalhar e não fica se martirizando por causa doq tô achando... aff... E fora q meu tem gente MUITO pior não reconhecer as coisas q nos temos sabe, sempre querer mais e mais e mais e gerar aquela Áurea de insatisfação 24 hrs por dia. Eu não quero.... eu sou uma pessoa que busco uma espiritualidade sem dogmas nem religião e meu eu aprendi MUITO cansei de chorar de me lamentar tem dias q tô na merda sim, mas tudo mandou meu olhar fez eu entender como as coisas funcionam as mentiras as coisas q não são nossas. Eu tento mudar a forma como eu penso como eu sou pq eu só posso controlar a mim e não o meu meio o país a família, o mercado de trabalho etc. Mas, ele não tenta sabe pensar diferente agir diferente sempre comete os msm erros os msm padrões. Cansa muito.... desanima muito.... a ponto de desistir de querer continuar... e ter q ser Mãe, psicóloga, exorcista, amante, economista de homem cansa. Eu fiz tantos e tantos sacrifícios pra esse relacionamento dar certo, tantos investimentos tantas coisas. Eu não quero q ele se sinta pior então por isso tô desabafando aqui. Viver em dois é um dilema pq as vezes um vai pra um lado e outro ñ quer ir e se os dois não forem juntos tudo desanda.
submitted by ttmorais to desabafos [link] [comments]


2020.11.13 20:06 Dangerous-Pumpkin190 Eu fazia programa

Eu li algumas coisas sobre isso em outra rede social hoje e queria muito desabafar mas não podia fazer isso com a minha cara por conta do estigma.
Eu venho de uma familia bastante pobre e sempre fui muito inteligente, disso me venderam a ideia que se eu estudasse bastante, entrasse em uma boa faculdade ia conseguir fazer o que quisesse. Passei direto de uma escola pública da periferia para um curso extremamente concorrido na USP.
Nesse momento, eu acreditei de verdade que a minha vida ia melhorar mas a faculdade era muito difícil. Desde o primeiro semestre, tinham professores passando leituras complexas em inglês, eu sabia um pouco do inglês da escola e de ser curiosa na internet, custei conseguir acompanhar... quando estava mais confortável, começaram alguns textos em francês.
A assistência estudantil me ajudou sobreviver mas é extremamente difícil, a falta de conexões e as longas horas gastas no transporte público sempre me colocou abaixo dos meus colegas. Foi muito difícil arranjar um estágio, depois foi muito difícil me manter no estágio e faculdade e morar na ZL, mas o dinheiro não dava para pagar um quarto no centro.
Quando eu me formei, arranjei um emprego na área para ganhar uma quantia rídicula. Trabalhar até as 22h era norma, e alguns dias o trabalho se alongava nas madrugadas. Sem hora extra, levando muita bronca de uma patroa histérica. Eu tentava procurar outra coisa mas o setor estava em crise e esse tipo de abuso parece ser bem comum.
Eu tinha 23 anos estava exausta e desiludida com a vida. Via minhas amigas da escola pública que nem tinham estudado e sentia inveja delas, porque minha impressão é que estávamos no mesmo lugar: mau pagas e exploradas, mas que no meu caso eu tinha sido iludida por anos achando que dava para mudar. Elas pelo menos tinham continuado no nosso quadrado e mantido relações significativas. No meu bairro, todo mundo me achava meio metida e na faculdade/emprego eu era uma pobrinha brega tentando se encaixar.
Eu fui ficando muito deprimida, cheguei a considerar me matar porque achava que a vida não tinha muito sentido. Isso fez eu começar a relativizar tudo que eu pensava, até que eu cheguei ao ponto de achar que trabalho sexual era uma boa opção. Pesquisei bastante, entrei em contato com algumas meninas que trabalhavam com isso e acabei entrando numa agência de acompanhantes.
No começo, Eu me sentia muito mal de levar uma vida dupla. Eu tinha muita vergonha de fazer coisas cotidianas, me sentia suja andando entre as "pessoas normais" tipo para ir ver a familia ou mesmo ir ao mercado.
No trabalho em si, eu tive muita sorte. Um adendo importante aqui que eu sou uma mulher bem padrão, tinha condição de escolher essa posição e me informar o melhor possível; isso é muito longe da realidade da maioria das prostitutas.
Com o tempo, eu fui até aprendendo a criar afeição por alguns clientes e comecei a ter alguns clientes fixos. Conseguia pagar minhas contas, guardar dinheiro, comprar as coisas que eu queria – eu nunca quis luxo, mas queria poder ir no supermercado e comprar o que eu quisesse, sabe? Não precisar ficar fazendo conta de moedinha e deixando coisa no caixa.
O medo da minha familia/amigos descobrir persistia, e persiste até hoje mesmo eu tendo largado a vida. Isso era definitivamente a pior parte.
Como eu falava inglês (obrigado professores cuzões da USP), pegava muito cliente gringo viajando. Eram meus preferidos pq eles contratavam tipo a semana inteira, me levavam para passear e tals. Nessas, acabei conhecendo meu marido.
Ele veio ao Brasil para trabalho, me contratou por 10 dias. A gente se deu muito bem, ele acabou depois de uns meses pro Brasil meio que só para ficar comigo de novo, e acabou perguntando se eu tinha interesse de me casar e me mudar pro país dele.
Não foi nada romântico, ele foi bem pragmático sobre querer uma esposa que fosse mais "submissa" e que era difícil achar alguém do país dele que quisesse a mesma coisa, que ele não tinha muita paciência para romance e essas coisas. Ele já tinha, inclusive, tentado um acordo semelhante com uma garota ucraniana mas não deu muito certo porque ela queria muito luxo.
Foi um acordo, parecia arriscado mas eu sabia que a vida de GP tinha um prazo de validade e eu tava meio desiludida de tudo por aqui e aceitei. Não me orgulho, mas não me arrependo. Fingi para todo mundo que a gente se conheceu de uma maneira normal, ele conheceu minha familia (que adoram ele) e eu vim para cá.
Meu marido é muito bom para mim. Ele trabalha numa área correlata a minha de formação, ele me ajudou a arranjar um emprego e aqui o mercado é completamente diferente. Eu trabalho meio período e meu salário é todo meu, mas eu cuido da casa sozinha (o que seria normal no Brasil, mas aqui não é). A gente decidiu ter filhos só depois de eu ter a residência permanente para, caso a gente se separe, eu consiga ficar aqui sem problemas. Ele nunca jogou na minha cara o que eu fazia, me apresentou para família e amigos e me estimula a ter amigos e hobbies aqui.
Eu me sinto muito feliz, a minha vida é confortável e eu gosto de ter um relacionamento onde tudo é colocado de maneira clara.
O que me fez querer escrever isso é que sempre que eu vejo discussões sobre trabalho sexual as pessoas colocam um estigma gigante nisso como algo sujo e corrupto. Não nego que existe um lado feio para boa parte das meninas envolvidas, mas não é tudo assim e a gente devia quebrar esse discurso moralista e pronto exatamente para conquistar uma qualidade melhor de trabalho para todas.
Nessa discussão que eu li, eu vi meninas falando como todos os homens que recorrem a esse tipo de serviço são depravados e nojentos, e eu nunca tive nenhum cliente que me pedisse nada fora do convencional. Muitos eram só pessoas carentes e ocupadas. Eu passei por mais abuso (incluindo assédio sexual) num trabalho convencional de escritório e na Universidade do que como GP.
Não indicaria a carreira para ninguém, exceto como algo pontual, porque não é algo sustentável a longo prazo... mas para mim, foi algo muito bom e me ajudou a encaminhar minha vida para um lugar de paz.
Poucas pessoas sabem sobre isso e sobre a verdade do meu casamento, e mesmo tendo selecionado bem quem eu contei, já tive que ouvir muitas coisas moralistas e julgadoras. Inclusive por ter atendido muitos gringos e ter me casado com um, tem um certo estereótipo que eles curtem coisas sujas tipo escatalogia, e eu nunca passei por isso.
Outra coisa, quando eu me mudei para cá, o Estado te paga um curso da língua local e outro sobre cultura. Tinham outras brasileiras em situações similares, algumas assumidamente e outras que escondem ou talvez não eram "profissionais". E tem um pouco de tudo... tem gente feliz, gente com relacionamentos horríveis, gente que quer dar o golpe e conseguir residência, umas que sequer falam outra língua e não sei como se comunicam com o marido. Não quero que ninguém leia isso como uma chamada para fazerem o mesmo que eu, só queria tirar isso do meu coração hoje depois do tópico horrível que li em outro site.
submitted by Dangerous-Pumpkin190 to desabafos [link] [comments]


2020.11.13 06:42 satanistboy Nunca senti tamanho desgosto de ter pedido meu tempo conversando com alguém

Sim, sentimento está extremamente forte e pesado e pra piorar tô sentindo isso pela minha mãe
[textão alert]
{contexto} Minha mãe é psicóloga e eu tenho depressão faz alguns anos mais ou menos e ela demorou um tempo absurdo pra se tocar que o filho dela tem depressão (amigo meu me falou uma vez " em casa de ferreiro o espeto é de madeira" ou algo assim, aliás salve Demon) e de novo, a questão não chega a ser essa, o buraco é mais embaixo, pq no momento que eu fui medicado e devidamente diagnosticado ela levou mais a sério e valeu a pena ter contado tudo pra ela e ter esperado até q ela me levasse a sério; ela me disse que preferia que eu falasse como eu estou e q eu dizer como q está minha saúde mental do que ele tiver na ignorância (pelo menos foi oq eu tinha pensado na época) nesse período queria muito parar o cursinho pq não tava acompanhando a matéria fazia meses e não conseguia estudar e minha mãe e meu pai concordaram desde q eu trabalhasse ou estudasse. Concordei pensando que estaria em condições de trabalhar porém estava enganado e minha mãe estava pressionando muito e eu tava tentando dizer pra ela q eu não estava bem e q N ia dar pra eu arrumar um trampo porém nada tava adiantando, ent decidi demonstrar meus sentimentos na intensidade q ele era pra ela sem nenhum tipo de ponderação, foi uma verdade nua e crua já que com cuidado não funcionava nem um pouco ai tinha até q funcionado
Passou um tempo, e senti q a partir do momento em q o remédio estabilizou ela partiu do princípio que eu estava 100% bem e que tava tudo certo (não sei se era oq ela pensava, mas era oq o comportamento dela dizia, e isso mexia comigo, mas era menos ent era relativamente lidavel. Minha mãe começou a forçar absurdos pra eu arrumar um emprego e aquilo ali tava muito pesado e ruim pra mim, pq tenho ansiedade pra algumas coisas e o assunto de trabalho eu sinceramente tenho muito medo e preocupação em danificar ainda mais meu psicológico (que inclusive estava e sinceramente ainda está em um estágio bem suicida e bem inconsequente em relação a minha própria vida e minha mãe SABE disso e ou finge demencia ou esquece com uma frequência relativamente alta) e eu tinha anteriormente entrado em um grande estado de apatia e isso fez deixar ela extremamente mal e arrasada e eu simplesmente não podia fazer nada, já que não tinha controle sobre isso (pra quem não entendeu é tipo como se alguém tivesse desconectado seu controle do console e você só assiste você se mexendo sozinho porém não consegue controlá-lo de forma alguma) e eu felizmente consegui sair disso (e sinceramente as vezes eu sinto uma falta enorme desse jeito que eu ficava e queria que ele voltasse pq assim paro de me machuca sofrer, e ela soube que tinha uma época que eu queria o forte e frio abraço da morte (e sinceramente é uma das coisas que eu mais queria) e após ela ver tudo isso ela começou a se esforçar ao máximo pra eu melhorar psicologicamente e deu certo até um certo momento por causa da pandemia e parei minha terapia pq eu basicamente não podia falar, pq ela ficava falando sobre pandemia, corona vírus, pandemia, isolamento social e como eu estava sendo extremamente inconsequente de sair de casa (durante esse período eu namorava e eu ia na casa dela em uma cidade vizinha bem pequena uma vez por semana mais ou menos) e sinceramente eu tentei muitas vezes e foi bem cansativo falar pra ela de q eu não queria falar sobre isso porém não adiantava, aí dps de várias tentativas eu decidi parar (fora que eu tava julgando que eu tava melhor e iria conseguir lidar bem com a terapia mesmo durante a pandemia, também tinha o fato de q minha mãe deixou de fazer terapia na frequência que ela gostaria pra dar prioridade pra mim, ent achei justo abdicar um pouco minha terapia por ela )
Porém não foi tão simples assim, a pandemia foi responsável por multiplicar meus problemas a 89 mols e deixar a solidão muitíssimo maior, porém meu medo do trabalho ser estressante no nível necessário de eu cometer o suicídio que eu tanto queria ter coragem e isso era bem possível, fora que é basicamente muito delicado alguém que não tem a mínima vontade de fazer nada e alguém que não sente prazer em absolutamente nada quer fazer qualquer outra coisa, nos meus dois últimos relacionamentos eu tentei aproveitar ao máximo e aproveitar pra pegar a energia que o relacionamento tinha gerado pra arrumar um emprego (que provavelmente era e mal mal será minha última tentativa de fazer alguma coisa pra minha saúde mental, pq sinceramente faz uns 4 anos q era pra eu estar morto e cá estou eu só tomando no cu e pegando mais desgosto por estar vivo) ent por causa da minha situação extremamente lixo e frágil eu tenho tentado achar um lugar legal pra trabalhar ou minimamente lidavel pra eu trampar e "sentir o grande bem e maravilhas que o trabalho pode fazer" porém nesse período eu não enviei muitos currículos (foram aproximadamente 20 currículos porém pra minha mãe aquilo era extremamente baixo) ent minha mãe e eu tivemos uma discussão fodida e eu expressei oq eu tava sentimento, que ela estava me pressionado muito e q N tinha pra que dizer, ela entendeu e disse que bate um desespero de me ver deitado na cama sem fazer nada e q entendia que eu estava sendo pressionado por ela e ela disse que iria tomar mais cuidado com a pressão
Esse diálogo foi de certa forma importante pq eu consegui aumentar um pouco mais os lugares q eu iria mandar currículo e fez eu buscar emprego com mais voracidade (durante uns 3 meses mais ou menos) mas o lado mais importante é q ela disse que percebeu que me apressar pra isso não é algo que funciona, me pressionar em relação a emprego não funciona nem um pouco e eu realmente acreditei q ela entendeu essa parte, porém a partir desse ponto a situação piorou cada vez mais
Começando com o fato do meu relacionamento amoroso que eu tinha ter acabado e de uma forma bem miserável (era um relacionamento aberto, essa mina tinha boderline e ela ainda gostava do ex pra Krl e mantinha contato com ele, e quando eu questionei isso com ela, ela disse que não tinha com oq de preocupar que por mais que ela quisesse ficar com ele ele morava longe aí decidi terminar e demorou pra eu me tocar que fui trocado pelo ex dela, me senti muito descartável e inútil, e hoje em dia isso me deixa muito mais mal do q antes) também teve o fato de q me senti abandonado (e fui de fato pelos meus amigos pessoalmente e só tinha me sobrado meus amigos virtuais que eu gostava/gosto pra Krl. Também teve o fato de q meu pai não levou nem um pouco e não demonstrou se importar com uma tentativa de suicídio falando que isso é normal q os jovens ficam com depressão por causa da Internet e acham que o suicídio é uma boa opção (e eu tinha tentando e ele agiu como se não fosse nada, que aliás dá pra perceber que o suicídio do filho não significa absolutamente nada pra ele) também teve o fato de q tive um relacionamento com uma mina q tinha sociopatia e com a diferença de 5 anos conseguiu fazer um relacionamento abusivo, fez eu ter várias crises de ansiedade (ela já fez eu ter uma crise de ansiedade dizendo que estava grávida, ela durante uma discussão disse que a vez que eu e ele fomos no motel eu estuprei ela, pq segundo ela me deu sinais de q eu queria. E na real que eu perguntei várias vezes se ela realmente queria e ela disse que sim. Quando ele ficou mais suave ela disse que só falou que eu estuprei ela pra eu me sentir mal e q ela tava querendo sim ) esse relacionamento foi tão lixo que absolutamente quase TODO MUNDO VIROU AS COSTAS PRA MIM E SE RECUSOU A ME AJUDAR SOBRE QUALQUER COISA que envolvesse esse relacionamento e isso fodeu mais ainda. Como se já não fosse o suficiente minha vontade de vive permanecer vivo já tinha ido embora e teve morrendo de vontade de me matar e acabar com essa merda de sofrimento acabar e já tava meio q querendo " marcar" um dia pra eu me matar porém algo aconteceu que me impediu de fazer (sinto que já fiz tudo que poderia fazer, tava fazendo terapia porém não tô mais e a terapia online ta um lixo, tomo remédio e o remédio ajuda pra Krl porém não acho que eu nesse estado é o remédio deem conta, e também tô indo com a maior dificuldade na academia 3x por semana
A terapeuta da minha mãe morreu e ele ficou extremamente arrasada e triste, deu muita dó e mal por ela, ent tentei fazer uns agrados pra ela e ela ficou feliz e Krl a 4 e por conta desse acontecimento pensei q ela não iria conseguir lidar com a minha morte e ela provavelmente iria morrer pouco tempo mais frente, admiro ela pra Krl, ela pediu divórcio de um casamento em ruínas que ela estava casada por mais q 30 anos e conseguiu se divorciar aguentou o tanto de merda que meu irmão já falou e lidou com o fato do filho dela querer se matar.
{Fim do contexto}
{Começo do desabafo}
Eu estava extremamente frustrado e mal e cansado no meu quarto q tarde por conta de q fui dormir tarde na noite passada e tinha ido na academia quando minha mãe entra no meu quarto extremamente pistola e surtando dizendo que é impossível continuar desse jeito, que eu não faço absolutamente nada e q ou eu tô doente ou eu varei a noite falei q tava deitado pq tava cansado e tinha feito academia e talvez energia não gerasse tenta energia quanto ela dizia, aí ela mandou um " q energia Gustavo? Tu não faz nada aqui em casa, mal mal tu vai na academia 1vzs por semana" e foi embora
Fiquei muuuuuuuuito mal e pra baixo com esse comentário, contei resumidamente pra uma amiga minha e ela disse que seria uma boa eu sentar pra conversar com ela e ver se a gente não conseguia se resolver e foi isso que eu tentei, mas sinceramente acho que só piorou a situação.
Falei pra ela que achava q ela era extremamente inconsequente e impulsiva e que aquilo estava me incomodando pra Krl, disse pra ela que sentia q ela mão tava ligando nem um pouco pra q de o estresse que ela tava sentindo tristeza ela iria descontar em mim e q eu fazia o possível pra quando isso acontecia comigo não causar estresse pra ela. Disse também que eu não tô bem também e q ninguém tá bem mas q eu me preocupo com o bem estar dela e queria que ela fizesse o mesmo No começo ela até pareceu estar entendendo.
Ai ela começou "não dava pra ela parar de me estressar, pq o fato de você não ter um emprego incomoda profundamente e q sua energia me tira do sério e q o fato de você não fazer nada em casa tilta , também q você não fazia nada e q academia não podia ser considerado alguma coisa, já que você não ajudava na casa", falei q ela em nenhum momento me disse isso. Ela disse também que" nenhuma mina vai gostar de você pq você tem 19 anos e nunca trabalhou e nessa época de quarentena e não tô fazendo nada e q eu só vou ter um papo merda, por mais q eu tô triste pelo fim do relacionamento, " você já sabia que seus dois últimos relacionamentos não iriam dar certo e que já eram guerras anunciadas e mesmo todo mundo me falando que ia dar ruim eu ia e tentava, parecia que você queria bater de cara na parede, ent vai e bate a cara na parede e vê se você aprende alguma coisa, e em relação ao término, seu irmão também terminou com uma mina q tava 6 anos namorando, mas ele continua trabalhando, se for pensar assim era pra ele estar sofrendo bem mais que você. Você pode melhorar suas coisas fazendo terapia, eu não tenho essa opção a minha tá morta "
Mano, não tenho palavra does descrever o quanto que eu fiquei pistola e decepcionado, ela deixou bem claro q ela não tá nem aí pra saber o quanto que eu tô sofrendo e fica falando q ela tá em situação pior é a minha e dps teve a audácia de dizer que" filho, eu me importo muito com você, faço isso pq não sei oq mais fazer, mas tu sabe q eu faço isso só pra te ajudar né?" Falei q tinha minhas dúvidas e q N tinha mais nada pra falar com ela e ela foi dormir
Em pensar que eu tava deixando de cometer suicídio por causa dela.... Alguém q não tá ligando.. Enfim, provavelmente quando vocês lerem essa mensagem vou estar ou atualizando minha carta suicida ou dormindo, se tu leu até aqui, tu é um guerreiro por ter lido esse textão, um abraço
submitted by satanistboy to desabafos [link] [comments]


2020.11.13 06:05 Guitar_Fit Experiência esquisita (o relato é grande e não me xinguem )

Bom ano passado eu conheci uma garota na faculdade,no mesmo dia que conheci ela foi o tempo que fazia duas semanas que o relacionamento com minha ex tinha terminado,após mais ou menos 2 dias que conheci ela eu recebi uma solicitação de amizade no Instagram e como eu estava afim de ficar com alguma pessoa eu coloquei aquelas caixa de mensagens nos story pela minha surpresa ela me mandou uma mensagem falando que eu era fofo,logo no outro dia eu já dei em cima dela e a mesma tinha ficado com um pouco de vergonha mas ao mesmo tempo o sorriso dela estava de orelha a orelha;só que aí me veio a surpresa ela falou que tinha namorado (juro) eu achei que era mentira e ela estava fazendo charme. No sábado dessa mesma semana eu estava muito entediado e eu perguntei se ela estava livre,com isso ela falou que estava na festa de aniversário dela e me chamou fui na hora,só sei que conversei com todo mundo,contudo eu percebi que ela realmente tinha namorado então achei melhor deixar quieto. Segunda feira nos encontramos em sala de aula e começamos a conversar de boas até jogamos uno com o pessoal,mas aí todo mundo da sala de aula saiu e comecei a sentir meu corpo ficar quente,era como se a temperatura do local tivesse sido aquecido um milhão de vez e olha que o ar-condicionado estava no super frio,meu pé encosta no pé dela e de repente eu olho para o rosto dela e percebo que ela estava com vergonha e um pouco vermelha;ela me chama para ir ao shopping com ela e com isso a tensão ainda aumenta. La no shopping eu estava querendo demais beijar ela mas ao mesmo tempo estava me sentindo muito culpado,falo isso para ela e ela fala que quer muuuuito me beijar e que não está se aguentando,as vezes quero e ela nega as vezes ela pede e eu resisto,por fim olho para ela e falo” eu não estou me aguentando acho melhor eu ir para casa” e ela com o rosto vermelho fala “acho melhor kkkkk” Durante a semana ficamos nessa putaria,e quarta feira começaria às feiras da faculdade e para a minha surpresa advinha quem estaria junto comigo recebendo os alunos na parte de fora da sala,nisso nos apenas conversamos de boa as vezes rolava um clima mas ambos se controlavam,chegou sexta feira e eu só queria descansar mas ela me chama para ficar na bancada com ela recebendo os convidados a noite e o escravoceta aqui vai🙄,eu vou com o pensamento “eu não vou fazer nada e vou parar de dar em cima dela,vou até levar fone de ouvido para não conversar muito” na mesma hora a desgraçada encontra a cabeça no meu ombro e pega um dos lados do fone de ouvido para escutar música;sinto ela me cutucando e aí ela me mostra a mão e abre ela na mão está escrito “um selinho?” e foi aí que demos o nosso primeiro selinho Cruzei a linha e ela também a partir daí o tesão tava maior,chegou sábado e ela me chamou para estudar neuropsicólogia lá na faculdade(fui lá para estudar com ela e essa foi a cadeira que eu não passei....super coincidência ),estávamos lá conversando e falo para ela que no momento que estava com ela lá no shopping meu pau estava super duro e ela fala “eu estava totalmente molhada tive que chegar em casa e trocar a calcinha” nisso conversamos estudamos um pouco e aproveitamos que não tinha ninguém na faculdade e demos o primeiro beijo de língua,sinceramente o beijo para mim é a parte mais excitante. Chegou sábado de noite e voltamos para faculdade receber na porta os estudantes que foram para a palestra,teve uma hora que meu pau tava tão duro e ela estava tão vermelha que de surpresa cheguei por trás dela e fiz aquela velha surpresa,ela tinha sentindo ele com as mãos e ela na hora tinha batido a boca de surpresa,sorriso de orelha a orelha. Passou-se uma semana e era sexta feira as provas já tinham terminado e eu chamei ela para “assistir Netflix” nesse tempo já estávamos nos pegando pra caralho ela chupava meu pescoço e lambia ele e eu chupava a língua dela,eu nunca tinha sentido tanto tesao e ao mesmo tempo estava vendo uma mulher com tanto tesao sobre mim,de primeiro ela falou que não iria transar e eu comecei a rir,falei para ela que se ela visse para a casa eu iria nela com a intenção de certo modo ela queria mas ao mesmo tempo ela estava se sentindo culpada(chegou um dia que a mesma falou para mim que tinha chorado de raiva pq o namorado dela era muito bom mas a mesma estava sentindo tesao por mim),avisei para ela. Chegou Sábado e ela falou que iria mas não com intenção de transar,ela chega no condomínio com medo que alguma pessoa da nossa sala nos encontra-se lá no condômino mas aí eu fui em um caminho que ninguém iria ver a gente,chegamos em casa e começamos a assistir Netflix,minha mão está na barriga dela e lentamente ela vai para a perna dela e fico fazendo esse carinho,olho para ela e nos beijamos.Começo a levantar a roupa dela e tiro o sutiã dela seu mamilo marrom estava duro e do lado esquerdo tinha o mamilo duro com piercing,beijo fortemente o pescoço dela e vejo ela gemendo fortemente e começo a sentir meu pau duro feito diamante,o beijo se torna ainda melhor quando ela fala para eu tirar a roupa pq ela tava doida para ver meu pau,tiro o meu short e tiro lentamente o short dela por último tiro a calcinha dela e juro que o tesão dela era tão forte que o cheiro e o ar quente de buceta apareceu como como um prato que tinha acabado de sair do forno. Chupo com toda a força do mundo,percebo por um momento que a buceta estava lisinha e brinco um poucochinho com isso,finalmente chega na hora de enfiar nela e chego nela e pego meu pau e começo a esfregar na porta da buceta,a cada segregada ela mexia os dedos dos pé aí enfiei a cabeça e nesse momento sinto ela me abraçar fortemente;enfiei tudo e as pernas dela começaram a se tremer a ponto dela pedir mais e mais a mulher calvagou como se aquilo fosse o último penis da terra eu sentia que tudo ao meu redor tinha sumido e começo a ver que ela tinha gozado por final ela me fez um boquete extremo e eu quase gozei(tenho ejaculação retardada). Bom continuamos amigos mas aí ela tinha se sentindo realmente culpada,flava que não deveria ter feito isso pq o namorado dela era muito legal,mas eu percebia que muitas vezes ela falava isso com pena dele e não pq respeitava ou queria realmente ficar com ele,aí depois disso eu tive que mudar o turno da faculdade para de noite e se passou quase um ano onde a gente não se falou ou se encontrou. Nessa quarentena ela me manda uma mensagem falando que tinha terminado com ele e perguntou se ela poderia ir para a minha casa assistir algo,com isso transamos pela segunda vez e foi otimo,só que aí é que tá a minha situação após o primeiro sexo quando ela ainda namorava o cara eu percebi que ela tinha se sentido culpada e realmente não queria transar as vezes eu mandava uma mensagem para ela vir para minha casa mas ela não queria então achei melhor deixar quieto,em certo momento ela falou que eu as vezes só procurava ela para tentar transar e eu achei melhor não fazer ela se sentir usada;mas como eu falei para vcs ela na última vez ela veio atrás de mim querendo sexo e faz três semanas que ela me chamou mais uma vez para transar só que eu neguei pq eu estaria ocupado de trabalho e ficou na minha cabeça “ah se ela pode me chamar para transar então eu também posso”.Chamei ela hj e ela disse que só poderia na outra semana e ela falou que se fosse para transar ela não iria,perguntei se eu tentasse alguma coisa ela iria ficar com raiva? ela disse que realmente iria ficar com raiva e iria sair(tenho o maior medo com acusação de assédio por isso achei melhor não ficar com ela no meu quarto principal após essa mensagem) aqui vai a minha dúvida FOI ERRADO EU CHAMAR ELA COM A INTENÇÃO DE TRANSAR? Não vou mentir que na minha cabeça passa a ideia que ela também faz isso comigo então pq ela ficou chateada?
submitted by Guitar_Fit to sexualidade [link] [comments]


2020.11.09 17:53 Electronic_Address Acho que eu deveria parar de se preocupar com minha Ex (drogas e problemas psicológicos)

Faz tempo que quero escrever esse desabafo mas não encontro as palavras certas, sempre desisto de escrever no meio.
Alerta de que o texto pode ser grande.
Sim, eu ainda mantenho contato com a ex por vários motivos. A gente meio que se tornou melhores amigos, mas meio que só virtualmente já que nunca mais nos encontramos pessoalmente. A gente sempre troca segredos e confiamos um no outro. Na verdade eu nunca fui de se abrir pra ninguém, é mais da parte dela que ela me conta coisas "confidenciais", desde um relato que ela tinha perdido o vibrador até a experiência com drogas.
Quando eu comecei a namorar com ela percebi que ela era bem desequilibrada mentalmente (eu também era). A gente meio que tinha os mesmos problemas: Depressão, ansiedade, baixa alto estima, insegurança e por aí vai. Na TPM os sentimentos dela afloram ainda mais. Apesar de tudo isso nossa relação era saudável, nenhum dos 2 era ciumento, nem fazia chantagem emocional. A gente praticamente nunca se xingou. Na verdade a gente se ajudou a superar nossos problemas.
O término veio por pedido dela. Era difícil eu sair de casa pra qualquer coisa e a gente morava distante então a relação ficou complicada. Foi no ápice da pandemia do Covid-19 quando tudo estava em Lockdown e eu me neguei a sair pra encontrar ela (tem pessoas do grupo de risco na minha casa) daí ela terminou.
Não demorou pra ela arranjar outro cara mas esse "namoro" novo dela durou só 3 meses. Interpretei isso como uma extrema carência emocional que ela tem. Depois desse término dela ela me ligou bêbada de madrugada (eu sempre achei bem merda ela beber mesmo sendo menor de idade, e ela não bebia latinhas de cerveja, ela bebia LITROS de Vodka). Uma vez chamei atenção dela quanto a isso e ela disse " eu não bebo muito não, só bebo quando tô bem mal" e eu respondi "pior ainda".
A gente foi ficando mais próximo novamente (eu tinha parado de falar com ela por respeito ao novo relacionamento dela). Relatos de como ela se sentia inútil e de como ela queria morrer eram bem frequentes. Eu já tinha recomendado ela procurar um psicólogo, ela disse que ia falar com a mãe dela mas parece que isso não aconteceu. Não demorou muito pra ela vir com uns papo estranho de "já fumou maconha? Vou experimentar semana que vem".
De cara já fiquei bem preocupado com que tipos de pessoas ela ia usar, por que tenho muito medo de ela usar drogas com amigos homens e eles tentarem abusar dela (vocês sabem do que eu tô falando). Eu não falei "cuidado pra não abusarem de ti", eu só falei "cuidado com quem tu usa". Também falei pra ela ter cuidado pra não viciar. Eu sei que a chance de viciar em maconha é bem menor que a do álcool mas sabia também que devido ao emocional dela era bem mais sucetivel ela recorrer a droga como válvula de escape (assim como ela fazia com o álcool) e acabar se viciando.
Até aí pensei "tudo bem, ela vai usar com pessoas que ela confia". Também não acho maconha muito preocupante tendo em vista que tenho primos que usam de forma recreativa e eles não são viciados. Raramente recorrem a maconha pra se divertir e que eu saiba não usam outras drogas.
Depois de um tempo percebi que ela passou um dia inteiro sem me mandar mensagem. Achei bem estranho mas não chamei ela. De noite ela me mandou uns áudios bem estranhos que não dava pra entender nada. Ela falava bem baixinho e a fala dela tava toda enrolada era realmente impossível entender o que ela falava. Eu perguntei "o que?" E ela digitou "deixa pra lá" e sumiu.
No outro dia ela me disse que tinha experimentado o LSD e que ficou o dia todo sobre o efeito. Ela disse que tinha se sentido muito bem e que sorria de tudo no dia anterior mas que hj ela acordou se sentindo uma merda. Expliquei o funcionando do LSD e falei que devido a bomba de Seretonina que ela recebe ela acorda no outro dia se sentindo merda pois ela tá zerada de Seretonina.
A esse ponto eu já me preocupei um pouco, ela tava migrando pra outras drogas. Depois que eu expliquei sobre o LSD ela me prometeu que nunca mais usaria drogas. A mãe dela tava chegando de viagem então eu me senti aliviado pq eu acho que ela não usaria drogas em casa com a mãe lá.
Tudo começou a se normalizar e eu realmente achei que ela tinha largado as drogas, até chegar os dias recentes.
A gente tava tendo uma conversa normal até que eu notei que ela tava usando uma metadinha (famoso couple ou fotinhas combinado) que a gente usava bastante como foto de perfil quando a gente namorava. Perguntei bem despretensiosamente "hmmm tá apaixonadinha é? Usando metadinha" e ela me respondeu "não ele é só amigo" e me mandou um Print da conversa (que eu não pedi) que ela falava pra ele "usa essa foto aqui gay".
O que ela não se ligou, mas que foi a primeira coisa que eu reparei, mesmo antes das fotos foi o contexto da conversa. Dizia assim:
Amigo: tem mais chances de dar overdose Ela: tô ligada, deve ser bom Amigo: é Ela: pega, usa essa foto aqui gay
Eu falei: tão falando sobre dorgas 😳. Ela me respondeu "eita porraaaaaa". A gente conversou um pouco sobre e eu falei "cuidado".
Conversas sobre como ela se sente inútil e descartável se tornaram bem mais frequentes. Ela me contou até sobre a tentativa de suicídio dela. "Eu tentei me enforcar" - respondi "como?" - ela "com uma cordinha". Eu falei "tá doida porra? Se tu morrer eu vou ficar muito triste, tua mãe também." Eu sei que ela gosta muito de mim e da mãe, eu sempre tento fazer ela se sentir amada e querida quando ela fala que quer se matar ou quando ela se sente inútil e descartável.
Hoje eu mandei um bom dia e ela não me respondeu.
Quando deu meio dia, já quase uma hora ela me mandou um bom dia bem eufórico
"Bom diaaaaaaa Eu tô viva manoooooo Eu te amooooooo Eu tô vivaaaaaaaaa"
Ela me disse que tinha usado muita droga ontem. Me falou, falou e não explicou nada mas disse que ia me contar tudo (porra ela realmente confia em mim). Me disse que ainda tava mal e sumiu de novo.
Ela me disse que tinha usado 2 balas (ecstasy), LSD e "outros bagulhos lá". Ótimo era tudo que eu precisava: agora ela também tá no ecstasy e tá usando "outros bagulhos lá". EU NÃO SEI NEM MAIS QUE PORRA QUE ELA TÁ USANDO!!!
A situação tá ficando fora de controle. A gente já tinha marcado de se rever sábado. A gente vai tomar sorvete, como fazíamos antes. Mas lógico: ela cogitou a ideia de a gente fazer "outro tipo de rolê": dormir na casa dela, usar LSD e ficar loucão. Que ótimo, muito saudável! Nem precisei falar nada ela mesmo mudou de idéia e resolveu ir tomar sorvete mesmo.
Eu nem sei se eu quero mais ver ela. Ela se transformou numa pessoa muito diferente da pessoa que eu me apaixonei. Agora eu tenho que segurar as crises de depressão dela, principalmente depois que ela usa essas porcarias que é quando ela fica pior.
Porra é muita responsabilidade pra mim, ela completou 18 anos esse mês e eu vou fazer 17 ainda semana que vem. Eu sei que é contra as regras do grupo revelar a idade se eu for menor de idade mas isso é pra contextualizar de que de que isso é muito peso pras minhas costas.
Eu sei que eu deveria contar isso pra mãe dela mas como que eu vou falar isso???? Além disso se eu contar a confiança que ela tem comigo vai acabar completamente e isso pode ser ruim pro emocional e psicólogo dela.
Isso tá se tornando um fardo imenso. Toda vez que ela me fala que usou drogas eu me sinto muito merda. Vejo uma pessoa se afundar em depressão e drogas na minha frente e não faço nada. Eu tô simplesmente congelado de medo.
Isso tá me fazendo muito mal, as vezes dá vontade de chorar quando ela me fala essas coisas e eu penso em simplesmente cortar ela da minha vida por que o que era uma relação de amizade saudável entre ex namorados agora é algo que só me puxa pra baixo. Realmente é bem covarde e egoísta deixar ela assim pra trás mas é o que eu sempre fui, sempre fui um COVARDE fugindo dos problemas.
Além disso minha mãe anda falando muito em se mudar de cidade. Uma hora eu vou embora e minha ex não vai me ter mais aqui pra ajudar ela com as merdas que ela faz. Ela precisa saber o que faz sozinha.
Preciso ir cortando nosso laço pouco a pouco. Desaparecer gradualmente até que ela não perceba minha ida.
Se a gente não tivesse insistindo em continuar se falando depois do término isso não estaria acontecendo (não comigo) e eu iria se lembrar dela sempre como a pessoa mais incrível que eu conheci, mas agora... Agora todas as memórias bonitas que eu tinha sobre ela estão desaparecendo por que ela virou outra pessoa.
Obrigado a você que leu até aqui.
submitted by Electronic_Address to desabafos [link] [comments]


2020.11.05 07:40 Content-Marionberry9 A minha baixa autoestima está chegando a um ponto crítico e eu tenho medo da minha depressão voltar

então, eu cheguei a usar esse sub de vez em quando e agora no meio da madruga dps de uma maratona de choro, resolvi desabafar um pouco, acho que ajuda
eu sou um garoto de 16 anos e desde os 14 eu ja tinha a minha autoestima meio baixa, se eu contasse os motivos ficaria ENORME o post, mas vou pular
a uns meses atras, eu comecei a fazer acompanhamento com um psicólogo pois minha autoestima em relação a aparência estava muito muito baixa (apos eu ter uma crise de panico dps de minha mãe avisar que uma visita estava vindo e eu não queria que ninguem me visse assim) no meio desse tratamento, eu conheci numa comunidade weeb q eu frequento uma garota, mesmo idade que eu, mesmos gostos, lindissima, alem da gente gostar dos mesmos animes, jogos, ter uns objetivos similares na vida e se entender bastante, ela morava no interior de SP e eu no RJ
bom, nos chegamos a conversar bastante por uma semana, ja cheguei a madrugar, dizer coisas bonitinhas um pro outro e enfim, eu acabei me apaixonando, eu sei que você deve estar lendo isso e pensando "nossa que cara patético" mas calma que fica pior, essa foi a primeira interação """romântica""" que eu ja tive na vida (no caso de eu gostar de alguem, realmente me interessar por essa pessoa e demonstrar isso)
acrescentando algo que eu esqueci, e que ate esse momento, ela nunca tinha visto meu rosto, a foto q eu tinha era aquela pose de foto do celular na frente do rosto, mas enfim
nos acabamos entrando no topico de como nos eramos antigamente, e ela me mandou umas fotos, eu mandei uma que eu tinha, era literalmente a melhor foto que eu tenho de mim mesmo, e depois disso
ela simplesmente sumiu, depois de ver o meu rosto pela primeira vez
não sumiu sumiu, so começou a de poucos em poucos se distanciando de mim, era sempre meio seca quando eu tentava iniciar alguma conversa, enfim, aquele jeito né, ai eu acabei vendo ela postando flertes com outro cara no status do whatsapp e isso me destruiu, a ponto de eu acabar desenvolvendo um começo de uma depressão (estado constante de tristesa, perda de interesse em certas coisas) cujo foi diagnosticado com meu psicólogo
enfim, eu sei que ficou enorme mas espero que de pra ler, e eu sei que isso parece meio hilario pra uma pessoa de fora, mas o que meu psicólogo falou e ate que faz sentido, e que essa situação era como "jogar acido numa ferida aberta" pra mim, por isso que eu acabei tendo a reação que eu tive, tambem, nunca tive um relacionamento nem se quer beijei ainda, então por isso que eu fiquei tao emocionado
mas enfim, eu acabei me distraindo desse estado de tristeza quando eu comecei a acompanher alguns esportes no começo da pandemia, comecei a ver futebol, NBA, F1 entre outros
só que chegou hoje, eu tenho percebido que aquele estado constante de tristeza que antes tinha sumido tem aparecido mais e mais, minha consulta com o psicólogo e apenas de 15 em 15 (faço no postinho aqui perto, por favor defendam o SUS) e é só 1 hora, não da pra eu contar tudo que eu to sentindo e eu to genuinamente com medo, essa doença ja levou muitas pessoas da minha familia e eu não quero que ela piore
submitted by Content-Marionberry9 to desabafos [link] [comments]


2020.11.03 20:29 Thecryboy Esses dias tenho me sentido esquecido pela minha namorada.

Esses dias eu tenho ficado chateado com as atitudes da minha namorada, porque a gente está conversando e do nada ela para de conversar comigo pra conversar com outra pessoa, tipo não estou dizendo que ela não pode ter amigos, estou dizendo que ela literalmente me esquece totalmente quando está conversando com eles, parece que fingi que eu nem existo, e eu odeio essa sensação, e o problema é que quando converso com ela sobre isso ela fica toda brava, dizendo que eu não estou nem ai pra ela, dizendo que não pode nem mais ter amigos pra conversar, sendo que isso não é verdade, eu sempre digo que se não quer conversar comigo, diga vou conversar com tal, mas nem isso ela faz, parece que esses dias ela vem andado muito chateada comigo, mas sem motivo nenhum, até pensei em terminar por causa disso, porque está realmente levando pra um nível onde literalmente ela está conversando comigo, e quando o amigo dela está online ela manda mensagem pra ele e para totalmente de falar comigo, não sei o que eu faço, eu até tenho um pouco de receio de falar, a se você prefere conversar com ele namora com ele então e me esquece de vez, mas eu não quero perder ela, isso está levando em um nível onde eu não estou aguentando mais essa sensação, não sei se termino, não sei se converso, não sei oque fazer, tipo o nosso relacionamento é muito bom, muito bom mesmo a gente se entende completamente, quase não tem brigas somos totalmente abertos um para o outro, mas parece que esses dias ela realmente tem me esquecido, parece que ela só vem conversar comigo quando ela não tem ninguém pra conversar, literalmente eu sou a ultima opção, e esses dias quando as vezes me abro pra ela dizendo que hoje não estou muito bem, ela pergunta porque, ai eu digo o porque, e ela fala mds e vai conversar com os amigos dela, porra eu fico muito puto com isso, ela diz que eu que não ligo pra ela, sendo que é ela que não liga pra mim, isso aconteceu hoje mesmo ela mandou mds, ai eu mandei na lata perguntando se ela liga pros meus sentimentos, e ela disse que liga, só não da pra demonstrar, ai eu falei na minha cabeça karalho resolveu oque, ai depois ela que vem querendo controlar quem eu posso ser amigo ou não, dizendo a eu não gosto desse cara acho que ele que está te deixando triste, a esse cara ai e muito cuzão gosto dele não, ela nem conhece como que ela vai saber, ai ainda pelo menos manda a vou jogar com tal e nem me chama, ai depois de ter jogado manda a vou entrar só de noite, ai entra 1 hora da manhã, toda fofa se fazendo de coitada, conversa comigo por uns 30 minutos e fala que vai dormir, tipo se ela não está confortável namorando comigo se ela não quer mais, eu aceito só não gosto que fique me arrastando dizendo que me ama e que se importa comigo, sendo que quando tem esses tais amigos dela, ela me esquece me deixa no limbo, ai quando eu estou triste querendo que ela me console, ela diz a não sei nem como fazer isso, e me esquece e vai conversar com os amigos, tipo não creio que eu esteja sufocando ela, até porque sempre fui muito tranquilo enquanto a isso, sempre disse que se ela não quer conversar comigo na hora, não tem problema converse com quem você quiser, mas esses dias parece que ela tem realmente me esquecido e eu não gosto dessa sensação, é uma sensação horrível, e ainda vem dizendo a sua vida nem é tão difícil assim, sendo que ela não viveu na minha pele pra saber se realmente é difícil ou não, as vezes eu até tento me abrir, mas parece que ela não liga, e também ela diz que as vezes não se abre comigo, porque eu não vou ligar sendo que ela está totalmente enganada, não sei como prosseguir isso, acho que vou acabar e pronto, não quero ficar com alguém que nem ligar pros meus sentimentos liga, assim as vezes me da vontade até de chorar por causa disso, e eu sou muito difícil de chorar, odeio quando as pessoas me ignoram, principalmente quando é uma pessoa importante pra mim, que diz que me ama, que diz que se importa comigo, mas as vezes parece que ela não está nem ai pra mim, me trata como se eu fosse um qualquer, que ela conheceu agora, que não sabe nem o nome, e o pior eu pergunto eu sou oque você quer da sua vida, você perdeu o interesse em mim, e ela diz eu quero você sim pra minha vida, só acho que você que não sabe oque quer, eu não perdi o interesse em você, porra isso me fode, ela diz que eu que não sei oque quero, sendo que é ela que não sabe, e ainda me chama de hipócrita dizendo que a você faz as coisas que fala que são erradas, não se coloca no lugar dos outros, sendo que é ela que não se coloca, tipo isso acontece só quando a gente briga na maioria acho que 95% do tempo, é só alegria, é só paz, quando ela "tira um tempo" pra conversar comigo, a gente conversa muito sobre nossa relação, conversamos sobre planos, até planejamos em um dia termos filhos, uma casa própria, mas isso não vai acontecer se ela não quiser, eu as vezes quando ela quer brigar por motivo quase que nenhum, eu falo não vou brigar com você, se um não quer dois não brigam, ai ela vem a dois não brigam seu idiota, ai fica putinha e para de falar comigo, ai depois volta, a desculpa por ontem não vai acontecer mais, eu vou melhorar, só que para falar a verdade nunca senti que melhorou, nossa são muitos sentimentos pra um só texto meu deus, tipo eu amo minha namorada, e sei que ela me ama também mas as vezes sinto que não. Só mais um desabafo sobre a vida mesmo, quem não tem problemas que atire a primeira pedra não é mesmo.
submitted by Thecryboy to desabafos [link] [comments]


2020.10.29 18:31 joaomgsa [TLDR] Como o trabalho voluntário ajudou a me desenvolver e vencer a timidez

Este post não tem intenção de fazer nenhuma pregação religiosa ou algo do tipo. Apenas ajudar alguém que está em uma situação semelhante a minha
Para começo de história eu sempre fui um cara bem tímido bem típico, aquele que não conversa muito além do bom dia e como vai o tempo e achava que o que passasse disso era quase uma perda de tempo. Sempre dava foco apenas as atividades que tinha que fazer e nada além disso nunca tive um instagram com o feed organizado muito menos postando fotos toda semana, na verdade cada Stories postado é uma "batalha pessoal"
E com o passar do tempo o homem vai diminuindo o ciclo de amizades ao trabalho e a faculdade e o aumento das responsabilidades, relacionamentos, família, trabalho esse ciclo de amizade fica cada vez menor.
Para aumentar esse abismo os meus amigos mais próximos da igreja/faculdade já não moravam tão perto de mim.
Então somando o curso natural da vida e minha dificuldade em me "arriscar" em conhecer e principalmente conversar com as pessoas fora do estritamente necessário
Fui criando uma tempestade ideal para a tão temida "solidão".
Fora toda essa situação passei por um momento muito ruim na minha faculdade/estágio onde ficou bem claro para mim que não nasci para ser um engenheiro mecânico.
Nesse momento estava com indefinições em relação a minha carreira, minha faculdade que até aquele momento acreditava ser a melhor decisão da minha vida estava indo por agua abaixo.
Um pouco antes desse momento de aparente total caos tinha voltado a frequentar a igreja e seguir os preceitos da minha religião. Nesse momento senti que me reconectei com alguns valores que havia deixado.
Quando adolescente sempre participei das atividades da igreja fora dos tradicionais cultos de domingo e hoje percebo que foi ali que conseguia ter um local onde me sentia a vontade e tinha um círculo de amizade porém estava frequentando uma nova igreja onde gostava da mensagem que era apresentada achava bem ruim não ter contato com as pessoas ali.
Foi então que resolvi participar de um Grupo que participei por volta dos 9 aos 13 anos, os Embaixadores do Rei, uma organização inspirada nos Escoteiros porém focada em estudos religiosos e desenvolvimento da vida cristã.
Nas primeiras reuniões participei somente como observador e orientador dos meninos, lembrava o quanto eram divertidas as atividades em grupos.
Depois de alguns meses só observando as reuniões, fui convidado a conduzir uma aula para os meninos e trazer um tema que fosse interessante. Foi primeiro um choque mas me preparei bastante, ou pelo menos achava isso na época, resumindo fiz bastante pesquisa na internet e tinha um ppt pronto.
Puro engano, foi um terror os meninos deram atenção no inicio porque trouxe uma novidade, uma apresentação no projetor, porém logo depois ficaram dispersos e eu cada vez mais nervoso pela falta de experiência mas no fim sobrevivi.
Com o passar do tempo fui descobrindo que os meninos percebiam minha timidez e falta de experiência nos discurso mas também percebi o quanto eles me ajudavam passando confiança com frases do tipo: Fica tranquilo tio tá melhorando e os mais velhos ajudavam a conter a bagunça dos mais novos.
Nesse meio tempo fui tocar a expansão da operação de um restaurante de um amigo onde ganhei a cargo de "Gerente" que na verdade era nada mais que um garçom com mais responsabilidades na realização da expansão. Foi um momento empreendedor por definição, trabalhava mais de 12h/dia, continuava como garçom, tocava a reforma junto com os pedreiros, fazendo entrevistas e treinando e liderando a nova equipe e buscando novos fornecedores/parceiros para expansão.
Aquele momento se vira nos 30 real onde diferente de trabalhar em uma empresa não existe a TI pra dar suporte e você se torna quem tem que trazer todas as soluções das mais simples como sair correndo para comprar óleo no meio do dia a alguém da sua equipe se separar e sair de casa com dois filhos sem ter onde morar.
Porém no fim do ano o líder da organização informou que ia se afastar pois estava há 8 anos a frente do trabalho sendo os últimos 3 sozinho.
Foi um belo susto mas também um gostinho de desafio e naquele momento estava dividindo as atividades com o Pedro, um cara que tem o espírito da organização e já tinha a experiência de liderança em uma outra igreja. Enfim nos reunimos, fizemos bastante planejamento e montamos uma grade de conhecimentos e atividades que desenvolveríamos durante o ano.
Mas ainda sim estávamos bastante devido a mudança da liderança qual seria a recepção dos pais a dois Jovens que ainda não tinham a sua própria família para liderar os meninos
Tomamos coragem e convidamos os pais para uma reunião onde nos apresentávamos, a proposta do desenvolvimento das atividades e como seria o relacionamento com os responsáveis. Como por um milagre fomos acolhidos pelos pais de uma forma surpreendente dobrando o número de meninos presentes nas reuniões.
Foi um início desafiador em relação as atividades novas que gostaríamos apresentar e também no relacionamento com os meninos sem um líder que tem as características de um Pai o onde desenvolvemos uma comunicação mais horizontal com os meninos sem abandonar o modelo de hierarquia da organização.
No desenvolver desses três anos aprendi bastante sobre alguns pontos:
Aviso - Estou somente relatando apenas as minhas experiências e descobertas sem nenhuma intenção de inventar a roda, apenas quero mostrar um caminho a quem passa por uma situação parecida com a minha
Comunicação: Todas as situações em que eu tive que apresentar ou explicar algo ficou infinitamente mais fácil quando estava preparado para o assunto.
Relacionamento: Apesar de ser mais tímido sempre me esforcei para me manter perto da equipe no trabalho e dos meninos apesar de não ser tão profundo e sempre fui surpreendido positivamente pelas pessoas nos momentos de dificuldade o que gerou grande aprendizado para mim em relação a liderança.
Adaptação: Com o passar do tempo as pessoas vão se acostumar ao seu jeito, isso não quer dizer que você não deva se adequar as ocasiões, mas não de uma atenção a exagerada a sua maneira mais introspectiva e fique a vontade para passar um pouco da sua personalidade nas situações
Regularidade: Mais difícil que trazer uma atividade/solução nova é manter a regularidade das atividades sem deixar algo mecanizado ou até mesmo repetitivo.
Vão haver tropeções feios no caminho e momentos em que você vai sentir um nó na garganta como se não houvesse solução, pense como o Harvey Specter sempre tem um jeito, e depois que passar reflita esses momentos fazem parte do aprendizado fazendo você criar casca.
Bom já fazem 3 anos em que resolvi fazer algo diferente e ganhei amizades inesperadas e a certeza que tenho é que foi muito melhor ter começado
submitted by joaomgsa to desabafos [link] [comments]


2020.10.29 14:46 KenzilRay Meu Primeiro Desabafo

Bom dia galera, tudo bem?
Tenho 21 anos e eu sou novo aqui, na verdade sou novo no Reddit em geral, e eu gostaria de desabafar um pouco com vocês, já vou adiantando minhas desculpas pelo texto longo.
Em Junho desse ano eu conheci uma menina pelo Tinder, e coincidentemente ela é da minha sala na faculdade, (estamos no primeiro ano, e como só tivemos aulas presenciais até Março, não deu pra conhecer muito bem o pessoal da sala). Bom, ai o caminho ficou fácil, eu procurei o WhatsApp dela no grupo da sala, e começamos a conversar por lá, e a gente se deu super bem, conversávamos o dia todo, sobre a faculdade, sobre o nosso cotidiano, sobre nosso problemas, enfim, sobre os mais variados assuntos, dava pra ver que ela tava afim de mim, assim como eu tava afim dela, mas infelizmente a gente não podia sair, nem se encontrar, por conta da quarentena estava tudo fechado, e tanto ela, como eu, estava levando isso a sério.
Bom galera, depois de uns dias conversando, eu percebi que ela estava totalmente diferente comigo, ela demorava horas pra me responder, e não me tratava como nos dias que a gente se conheceu. Isso me incomodava, mas eu sabia que não posso ficar cobrando isso de uma pessoa que sequer nem vi pessoalmente, então eu deduzi que ela estava passando por alguns problemas pessoais. Só que chegou num ponto que eu não aguentei mais, e resolvi perguntar a ela o que tava acontecendo, e resumidamente, ela tinha me dito que queria ir com calma em relação a tudo, pois passou por recepções recentes e não queria ser iludida novamente. Eu entendi o lado dela, até porque a gente não deve ficar forçando nada, tudo tem que acontecer de forma natural.
E desde esse tempo pessoal, vínhamos conversando como amigos pelo WhatsApp, as vezes conversávamos o dia todo, as vezes ela demorava pra responder, mas ela nunca me tratou mal, sempre foi gentil comigo, sempre puxava assunto e me chamava pra conversar, chegamos até fazer trabalho da faculdade juntos, eu senti que rolou uma identificação ali, entendem? Dava pra notar que ela gostava da minha companhia.
Só que a tragédia mesmo aconteceu no começo desse mês KKKKK Eu resolvi tomar uma atitude e falei que eu tava afim de uma conversa olho a olho, sair pra algum barzinho, lanchonete, restaurante, enfim, o lugar não importava, eu só queria conhecê-la melhor, sem segundas intenções. Galera, ela mandou um texto gigantesco, gigantesco mesmo, mas vou resumir aqui pra vocês: Ela disse que não sentiu o suficiente pra tentar um relacionamento, que eu posso ter criado um sentimento que não seja exatamente por ela. Ela também me disse que a gente pode dar certo lá na frente, mas que agora a gente não se identifica pra isso. Pra finalizar ela contou que tava gostando de um cara que não saber o que quer e que sempre vai e volta na vida dela.
Isso me deixou abalado de uma forma inimaginável gente, mas ela disse que se eu quiser, eu posso chamar ela pra continuar a amizade, ela só pediu um tempo pra eu me recuperar e acabar com esses sentimentos. E hoje pessoal, eu continuo decepcionado com o que aconteceu, eu sinto muito a falta da companhia dela, das mensagens, dos assuntos. As vezes eu me arrependo de ter dito tudo aquilo pra ela, pois hoje parece que a gente nem se conhece mais..... mas por outro lado, eu não iria saber que ela gosta de outra pessoa entendem?
Isso tá afetando no meu dia a dia, no meu desempenho no trabalho, nas aulas online, e nessa quarentena parece tudo ficar intenso, eu choro sozinho, sinto saudades, fico carente esperando por uma mensagem inesperada, eu sinto um vazio muito grande. Eu cheguei a responder alguns stories dela (podem me chamar de trouxa gente, porque eu sou mesmo), e ela respondeu com muita gentileza, como se nada tivesse acontecido, mas eu não prolonguei muito a conversa, porque eu só iria ficar me machucando ali... e não é isso que quero para mim!
Gente eu gostaria de saber o que vocês fariam no meu lugar, se vocês chamariam depois pra continuar a amizade ou não? Mais uma vez me desculpem pelo texto longo, não sei se alguém vai ter coragem ou o tempo suficiente pra ler e responder tudo isso, mas eu precisava desabafar com alguém....
Obrigado!
submitted by KenzilRay to desabafos [link] [comments]


2020.10.29 10:18 nofimnaime Palavras Somente.

Eu não aguento mais conversar comigo mesmo, e como não tenho mais pessoas para isso, essa é a melhor solução. Minha vida só desanda, e desde 2017 eu não consigo segurar as pontas, tive perdas que até hoje me doem, e escolhas nas quais eu me arrependo toda a noite antes de dormir. Consegui afastar esses pesos algumas vezes durante esse tempo, mas ele volta com mais carga, cargas atuais, e isso sempre vem a calhar na semana do meu aniversário. Mas esse peso não é a dor que quase me fez ser atropelado no meu aniversário ou a entrar em pânico na frente de um mercado. Uns meses atrás conheci uma pessoa, e eu naquele momento só queria sair com alguém, aproveitar uma nova amizade e ter aquele lance casual, era só isso, eu estava no meu canto escuro do quarto, já acostumado com esse peso no meu peito, e não queria mais dor de cabeça. E infelizmente eu conheci ela, eu não dava nada pra aquela desgraçada, as mensagens trocadas porém, me fez sentir algo por ela, aquele tipo de sensação "Ok, quero ser seu amigo", e desse jeito eu descobri que ela também não estava bem, tinha acabado de sair de um relacionamento complicado de 5 anos (3 anos de namoro, mas já sofria por 5 anos), e eu botei aquilo na minha cabeça, só queria ter uma pessoa pra conversar, conviver e aproveitar tudo que dava, e depois de uma longa espera de dois dias de conversa, resolvemos se encontrar, morávamos perto do outro, na qual no meio do caminho tinha um parque, perfeito meio termo para ambos, e quando eu vi ela, tudo que eu tinha montado sobre ela mudou. Aquele mesmo sentimento que você olha e admira aquela pessoa no trem, acha tudo incrível e pensa "e se...", o diferencial mesmo foi já conhecer ela, e a cada detalhe, conversa e risadas daquele dia, eu tive a infelicidade de nutrir um sentimento por ela... Não demorou muito para as coisas rolar entre a gente, tínhamos um entrosamento perfeito, e estávamos lá, indo pra minha casa no nosso primeiro encontro, e o que eu achei disso? Eu realmente tinha me apaixonado pelo brilho do olhar dela, o sorriso dela me trazia pás e a voz dela me acalmava, era tudo que eu queria até o momento, chegando lá ela me explicou que o ex relacionamento dela ainda pesava naquele momento, lógico que eu me desapontei um pouco, mas era apenas uma apaixonisse de momento, dava para reverter, e fiz o que tinha que fazer, falei que não iria servir de ponte para ninguém superar ninguém, acabou que ela dormiu na minha casa... Foi uma das melhores noites da minha vida? CLARO PORRA, E AINDA ELA FOI A PROTAGONISTA DE UMA DAS CENAS MAIS MEMORÁVEIS DA MINHA VIDA. No outro dia, conversamos ainda mais, e na dúvida que eu estava, esperei pelo movimento dela, pra mim tudo é um jogo, cada detalhe e ação conta, e o turno dela foi pedir um Uber pra minha casa, pra passar outra noite comigo, e ela estava incrivelmente linda... maquiada com uma delicadeza... vestido que abraçava a arte corporal dela... e a boca que porta o melhor dos sorrisos...
Foi nesse momento que eu cometi o maior erro de todos, depois de uma noite incrível (outra), eu falei que queria ela pro resto da minha vida, ela ainda estava afetada pela outra, mas o coração dela já sentia alguma coisa por mim, além do relacionamento passado dela, tinha a minha ex...
E então eu entro no meu primeiro inferno.
Sim, é isso mesmo que você está pensando, 4 dias de conversa e eu já estava pedindo ela em namoro, eu não conhecia ela direito, e muito menos ela me conhecia, só que aqueles momentos foram ótimos, e foram por bastante tempos, mesmo com autos e baixos, só que cada vez que ela deitava no meu peito, e a gente conversava fica mais nítido que os dois se amava, e saiu dela, o primeiro "te amo", na qual terei a dor de nunca esquecer, e foi assim que depois de 6 dias de conhecer ela, resolvemos entrar em um relacionamento, depois dela ter completado um mês de sair do dela, e eu de ter tentado incontáveis vezes de retorna com minha ex. Aliás, minha ex... todos nós temos problemas, e o problema dela sempre foi se depender demais de mim, morávamos juntos, e depois de perceber que a gente não daria certo, terminei e voltei pra casa, porém ela era destruída psicologicamente, uma vontade de suicídio constante, e eu tinha medo de isso se torna uma realidade, mesmo terminando com ela, a moça nunca deixou de ter minha importância, antes de sermos namorados, eramos amigos, e isso não acabou, sempre vou me importar com ela, como a grande amiga que ela é. E nossa protagonista não entendia isso, até tentou compreender a gente guardar por um tempo, mas ela queria nos anunciar para o mundo... E no começo eu não entendia o "pra que?" só tentava explica que isso poderia acabar com a vida de uma pessoa, e depois de uma semana nisso, se encontrando todos os dias com ela, resolvi conversar com minha ex. Expliquei pra ela o que estava acontecendo, e que eu tinha encontrado outra pessoa, que não queria perder o contato dela, sendo ela uma das pessoas mais importantes da minha vida, acabou que minha ex entendeu, e ficou ressentida, ela sentia muita coisa, e queria voltar... mas ela seguiu o caminho dela e me deu apoio, ela simplesmente me queria feliz, era só eu correr pro abraço da minha então amada e vocês teriam lido o começo de uma linda história de amor...
E então eu senti pela primeira vez a chama silenciosa do primeiro inferno.
A pessoa cujo eu já chamava de "Vida", não achou isso o bastante, mesmo já declarando nosso namoro, ela queria mais, pediu pra eu cortar contato com minha ex, vulgo melhor amiga, dizia que não daria certo e me pressionou a prometer isso pra ela, e nesse meio termo, eu tive que ver ela tentando reconstruir uma amizade com a ex dela e falhando miseravelmente no mínimo, mas BELEZA, segui deixando a minha ex de lado e fui construir o que eu queria com a pessoa que eu desejava, e nas primeiras semanas, foi maravilhoso, eramos a melhor combinação do mundo, dava pra sentir os outros casais invejando, a gente era mais entrosado que Romário e Bebeto, mais bonito que o sol se pondo em um céu laranjado, muito mais divertido que o todo o elenco dos Barbixas fundido com o Hermes e Renato, se você não entendeu que éramos incríveis, coloca todas as referências ao seu gosto que você vai entender. Só que eu descia mais para o inferno e não sabia.
Os outros níveis do inferno.
Todo mundo briga, não é nenhum erro discordar com alguém, e os lados se alterarem, mas o meu pavio estava curtíssimo... Eu não me aguentava, imagina então os erros das outras pessoas? E eu falava com ela o que me incomodava, e não era coisa básica do tipo "aí não gosto do seu sotaque" tava mais pra "você poderia falar menos putaria no meio da rua entre as pessoas?". E isso foi piorando, e eu não sou nenhum santo, muito pelo contrário, sei que errei de ter falado com ela daquele jeito, e então foi aí que o MEU jogo começou a trocar de estilo, eu percebi que tinha que mudar meu jeito, meu comportamento e minha forma de tratar algumas coisas. Sou explosivo, se tem que brigar, eu brigo, mas cara, eu não queria perder ela, e nessas foi me tocando que poderia ser melhor eu me trancar na fúria e dialogar na calma, e sim, eu me moldei a ela. Não, não errei só nisso, fiz coisas na qual eu não me orgulho e nem sei como aconteceu, porém, eu estava lá, ouvi o dela, e mudei, é um mérito meu, eu quero que você que está lendo tenha sua própria resposta para isso, pois a minha resposta é, não, isso não é um mérito, se você percebe que está errado, você muda, ok! Ok? E eu infelizmente não vou te dar um Plot Twist e falar que estamos vivendo lindamente, pois a gente desceu mais os degraus... No nível de começar a culpar o jeito no qual a gente conversava no whats para poder brigar, ela falava que eu era outra pessoa no whats, que respondia seco e era monossilábico, eu nunca vi isso, para começo de conversar, e ninguém nunca reclamou isso de mim, o que eu achei mais estranho, porém ela falou que outras pessoas que ela mostrava minha conversava concordava com ela, e tentei mudar isso, mandava mas áudio no intuito de ser mais confortável pra ela, e então chegou nosso primeiro mês de namoro...
Eeeeeh laiá, se quiserem numerar os infernos, fiquem à vontade, pois eu não tenho saco.
Eu sempre odiei isso, de mêsversario, maluco, ninguém quer saber que seu bebê feio está fazendo 8 meses, ou então seu relacionamento que ninguém liga está no terceiro mês, sabe quem se importa pro seu relacionamento, você e sua companheira, e... era importante para nós dois... pra mim pelo menos...
Chegou o cujo dia, e eu tinha planejado uma coisa simples, porém de coração. Vinho, uma pizza, janela aberta com iluminação da lua, era um momento especial na qual queria deixar ainda mais especial. Não falei nada, só deixei as coisas acontecer, e eu não sei por qual motivo, mas ela não estava me ajudando para isso (descobri depois o porquê) e meio que ficava "aí vc quer me ver ou não", meio que se não fosse óbvio que SIM, não só pela vontade de ver ela todo o dia, como pela data, e eu falava que queria, porém ela achou que faltou "vontade" nas minhas palavras, e resolveu ir em uma festa no dia que marcava um mês no nosso relacionamento, eu não acreditei, fiquei encabulado, cara, era nossa noite, noite na qual você optou por passar com pessoas que eu nem sabia quem era, e sem mais nem menos, e vamos discutir de novo... Mas dessa vez foi diferente. Fui na casa dela, já tínhamos conversado sobre o que aconteceu pelo telefone, ela falando que eu não fui direto e parecia sem vontade de ver ela, e eu explicando que não, e que ela cagou pra mim e foi pra uma festa como se fosse nada de mais... Acabou que ela me falou que estava muito cansada pra um relacionamento sério, e que achava melhor a gente dar um tempo, até ela se sentir confortável para estar em outro relacionamento... Tudo que eu queria, era não perder ela, concordei como um desesperado, porém falei que não iria aceitar algumas coisas, entramos em um consenso, e agora sim estamos felizes até agora, claro que não...
Depois desse episódio, resolvi me dedicar ainda mais, fazia tudo que dava pra ela, andava pra qualquer canto com ela, ia buscar, levava ela, talvez vocês nem acredita, mas eu mudei a direção do vento só pra ver o vento tirar o lindo cabelo dela da frente do mais belo rosto, e isso não foi o bastante. Ela buscava mais coisas para a gente discutir, com coisas do tipo "não se mexe no celular na companhia de alguém" é até verdade, mas dá pra você abrir uma excessões quando você passa o dia inteiro com a pessoa, mas eu aderi, e continuei me mudando por ela, era meu foco a melhora dela, e ter nossas alianças de volta "sim, eu comprei alianças, e ela tirou quando pediu o tempo". Mas foi aí que as coisas começaram a mudar pra mim, não vou esquecer que a gente passou mais um tempo de boas, mesmo depois dela ter pedido o tempo dela, a gente brigou muito, e nisso eu estava pensando "será que é bom pra nós dois?" só que quando a gente passava a tarde juntos, eu perdia esse pensamento, pois eu amava ela de verdade, cogitei terminar sim com ela, mas a gente conversava e se resolvia, porém foi nessa que eu percebi que só uma pessoa mudava, eu...
E então, chegamos no último inferno.
Essa epopéia estava no fim, e eu nem percebi, mas vamos logo para o último capítulo. Eu já conhecia a família dela, pelo menos a parte que ela sente alguma coisa, e chegou a vez dela conhecer a minha, meu irmão que tava em Brasília veio com a minha prima e era o momento perfeito, minha mãe ia preparar um almoço especial, chamou até minha tia e meu tio, tava tudo perfeito, só não esperava por uma coisa importante, ela não ir... Então vamos lá, bora começar uma semana antes, ela estava mal, se sentindo triste, fui na casa dela e troquei meu melhor amigo (que estava fazendo aniversário) pra ficar com ela, ele simplesmente me implorou para ir, e eu só falei "me ocorreu um imprevisto", era ela o imprevisto, e dei a força que ela precisava, beleza, no outro dia ela saiu com a amiga dela (coisa que me incomodava, já que a amiga dela incentivava ela ficar com outras pessoas, mas dessa vez, eu achei que ela precisava sair da casa dela). Só que ela ainda estava meio pra baixo, e no final de semana, especificamente sábado, resolvemos sair, ela com a galera dela, e eu com meu amigo que eu tinha furado, no domingo era o almoço, beleza, a gente conversou no whats e parou em um momento da noite, eu não me lembro do restante da noite, fiquei muito bêbado (e não, não fiz nenhuma merda de bêbado, só não me recordo de como eu voltei pra casa e que horas), acordei cedo, que é estranho, e antes mesmo de mandar mensagem pra ela, 6h ela me manda um áudio, falando que tava voltando pra casa da amiga dela naquele horário e que não daria pra ir pra minha casa conhecer minha família, eu fui destruído aí, mandei um "tudo bem", esperei até às 7h, fui no mercado comprar as coisas pro almoço, e foi isso, a cada pessoa perguntando, "Hey, cadê a sua Vida", eu simplesmente colocava um sorriso falso no meu rosto e falava "tá passando mal hoje, vai ficar em casa", no meio do almoço ela me ligou, e eu falei que fiquei mal com isso, e que não queria ver ela. E lembra que eu falei que via as coisas como um jogo, foi esse momento que eu pensei em desistir de tudo, o mais forte desse sentimento. Ela veio em casa, e me ouviu dizer que não queria mais aquilo, eu tinha cancelado trabalho pra ir ver a família dela, quando ela ficou na rua pra não ver a minha, mas eu fui fraco, aceitei as desculpas dela... A mesma pessoa que fala que desculpa não é uma palavra, e sim uma ação, e foi nisso que eu me peguei. E no outro dia, ela tinha uma entrevista de emprego online, na qual o entrevistador não foi com a cara dela (e ele foi babaca, ela foi incrível na entrevista), s acabou nela não passando, ficou devastada, e eu ainda meio chateado com ela, larguei de lado esse sentimento, e fui ajudar ela, comprei bebida, a melhor pizza que eu podia pegar (dominos é claro) pra ver ela levando o vinho que peguei pra beber com a amiga dela...
Ok...
Queria muito ver ela, e na sexta foi o dia, IRRAAAAAAAA, vou ver ela, e ela vai passar o dia comigo, vamos ter a melhor noite de todas e nada disso vai acontecer... Tirando a parte de ver ela, eu fui, e passei incrível 3h lá, a amiga dela falou que tava na bad, e pediu pra ela ir lá, e fodac eu. Mas até aí tudo bem, a garota lá precisava de uma companhia, acompanhei ela até um lugar pro Uber ficar tranquilo, e trocamos mensagem até de noite, quando ela resolveu sair... E sumiu... De madrugada (umas 5h) ela falou que a noite dela foi incrível, que conheceu um cara na qual conversou bastante, e que se divertiu muito, e isso foi as últimas coisas que ela me falou no final de semana resto de sábado, domingo e começo de segunda. Então começou a semana, fui entregar currículo já pensando "isso não está acontecendo" "deve ter uma resposta melhor", a única coisa que ela deveria fazer, era me valorizar depois da pisada de bola do almoço, e não contente, ela me pisa na com os dois pés depois, eu precisava entregar aqueles currículos, eles perderiam a data de vencimento, já que no outro dia eu teria 23 anos, e foi o pior dia do meu ano, eu tava visivelmente abalado, cheguei a vomitar no meio da rua, e mandei mensagem pra ela, pra saber se como estava, e ganhei um incrível "oi, c tá bem?". Cara eu já não tava legal, estava no meio da rua mal, e ainda ganho uma dessa, como se fosse um qualquer na vida dela, mandei um áudio pra ela, falei que não tava, que ela tinha sumido final de semana e queria conversar com ela, e sim, já ia com intensão do pior, colocar todas as coisas dela na minha bolsa, e com a pior das hipóteses já terminava ali, só que fui surpreendido... ela responde a porra do áudio com um "ah, não sei oq vc entendeu, nosso lance é casual, eu tive um final de semana cheio, virei duas noites, pipipipopopo" as lágrimas do meu rosto já estava deixando de existir com a falta de senso dela, eu simplicidade liguei e a única coisa que eu consegui falar foi "Eu desisto." Falei que ia encontrar ela e levar as coisas que estavam na minha casa, e pedi pra ela levar as minhas coisas (inclusive as alianças que ficou com ela), quando ela me chega, toda sorridente, fazendo sinalzinho com a mão, e eu não querendo acreditar, não sabendo se ela não entendeu a grandeza dos acontecimentos, ou porquê eu era só um qualquer pra ela, ela sentou na minha frente e disse "aí, eu não vou mais correr atrás de você... E blá blá blá" era uma realidade horrível, eu não estava acreditando que vivia aquilo, eu pedi minhas coisas, dei a dela, e disse tchau, e ela teve a pachorra de me perguntar se eu não ia abraçar ela, será que em algum momento ela percebeu minha expressão facial? Ela olhou pro vermelho dos meus olhos? Ou então notou o tom da minha voz? Eu cheguei em casa, destruído, e desativei tudo que poderia, graças a Deus eu ainda tenho pessoas que se importa comigo, e me ligaram, falei que ia me isolar um pouco e que qualquer coisa poderia me ligar. Foi a pior noite da minha vida, não dormi nada, e não aguentava nada, quando chegou as 7h da manhã, resolvi sair, chorando que soluçava, e fui para o parque, sentei no banco, e fiquei lá, quando a primeira pessoa me liga, me dando os parabéns (sim, era meu aniversário), eu não sabia oq falar e disse que tava ocupado, na segunda eu não consegui enganar, e percebeu minha voz de choro, falei que logo ligava de novo, e na terceira, eu desabei, era minha ex, a única pessoa que eu não esperava, ela sempre sabe quando eu não estou bem, e ela me deu um pouco de energia, me incentivou a ir pra casa, ver minha mãe, e sair com algum amigo, levantei animado, as palavras dela fazia sentido, até lembrar que a única pessoa que eu realmente queria a ligação não fez questão, e aconteceu uma das piores coisas da minha vida, eu simplesmente olhei para um carro na rua, e fui em direção a ele, a sorte que eu tive do cara ter feriado hoje eu vejo que é incrível, a sorte que eu tive de só ter subido em cima do capô dele e ver ele de tão perto atrás do parabrisa só mexendo a boca não entendendo nada que ele falava, sai de cima do carro e sentei na calçada, depois de uma longa conversa entre um grupo de pessoas, um cachorro e comigo mesmo, resolvi ir pra casa, lavei meu rosto e abri a geladeira, minha mãe tinha feito uma torta pra mim e comprado pizza pra fazer de noite, a minha relação com minha mãe é de mais ou menos pra ruim, porém naquele mesmo dia, foi ela que me viu chorar depois de me desejar sorte, sendo que quem eu chamava de "Vida" me deu o pior parabéns possível pelo Instagram.
Até hoje, dois dias depois do meu aniversário, ela não apareceu pra falar qualquer coisa, e eu realmente não quero ver a cara dela, pois eu tô destruído, até agora eu tô recebendo ligação e mensagem de pessoas que realmente se importa comigo, pedindo pra me ver, e eu não conseguindo, porque essa é a pior versão de mim, e eles merecem muito mais que isso, eu tô pensando em tanta coisa ruim agora, e minha mente tá conturbada tentando simular isso como se nunca tivesse acontecido, e eu realmente não consigo acreditar como esses poucos meses, destruíram tanto minha vida.
Você que leu isso até agora, agradeço muito por reservar esses minutos da sua vida pra esse texto, eu começar ele umas 23h da noite, e tô terminando agora 6h17, depois de parar algumas vezes, e me desculpa pelo tamanho. Eu só achei que precisava compartilhar isso com alguém.
Obrigado por ter chegado até aqui.
submitted by nofimnaime to desabafos [link] [comments]


2020.10.28 16:42 alexander151911 Sei lá oq eu faço

Minha vida amorosa sempre foi bem parada. Acho que pelo fato de ter iniciado ela muito cedo (11 anos, quando dei meu primeiro beijo), e, desde então, ter tido decepções nessa área. Em 2017 entrei na faculdade, e consequentemente tive contato com um mundo totalmente diferente, totalmente perdido, tanto que só fiz o primeiro ano e tranquei o ano de 2018. Acho q mentalmente foi uma ótima decisão, pois nesse ano que tive um relacionamento bem próximo com a minha família e deixei de ser um cara frio q havia me tornado por causa das frustrações de relacionamentos passados, pelo menos um pouco menos frio. Quando voltei p/ a faculdade em 2019, uma menina me conquistou simplesmente com o sorriso dela. Fiquei 100% apaixonado. No começo desse ano (2020), tive coragem de chamar ela pra sair, e para minha surpresa ela aceitou, mas não marcamos, pois estava em época de provas. Tudo ocorreu antes de ser decretado a pandemia. Passei os 4 primeiros meses do isolamento super feliz pois sabia que iria sair com ela. No entanto, dps desse 4 meses ficou bem complicado aguentar a ansiedade, pra ser sincero, não sei nem como aguentei os 4 meses. Quando minha região progrediu de fase (plano são paulo), e os comércios voltaram a abrir e tals, fiquei eufórico p/ chamar ela para sair, tomando todos os cuidados obviamente. E no fim, acabei chamando, e para minha surpresa ela aceitou novamente. Saímos, fomos em uma pizzaria, e foi super legal. No dia seguinte fui conversar com ela, perguntar oq ela achou e talz, ela disse que foi muito legal e que fazia tem q não se divertia tanto e tinha uma conversa tão gostosa. Então fui e chamei ela para sairmos novamente, mas ela veio com um papo de que sempre deixou claro que eramos só amigos, e eu fiquei tipo "????", mas disse "Tudo bem. Vamos sair para nos conhecermos mais, sem nenhum compromisso, como da outra vez" e ela disse q não sabia, e que não queria q eu confundisse as coisa. Novamente fiquei sem entender nada, e pergunte "Você não quer sair ou não quer ter algo comigo, pois não vejo nenhum problema em sairmos como amigos, unica e exclusivamente para nos conhecermos" ela disse que não sabia e não falou mais nada. Então eu perguntei "Olha, você disse que a gente é só amigo e para eu não confundir as coisas, mas esse nosso 'status' de amizade pode mudar?" E novamente ela respondeu q não sabia e que ninguém escolhe os sentimentos. Daí eu, novamente, reforcei para sairmos como amigos e ver se isso poderia mudar ou não. Passou uns 40 min e ela me disse "Acho melhor a gente ser só amigos mesmo" Isso me jogou no chão de uma forma q eu não sei nem descrever. Eu sei que quem tem os sentimentos sou eu, mas custava ela deixar claro se queria algo ou não? Posso estar muito errado em cobra isso, mas a gente passou uns 6 meses conversando, inclusive mandei um baita texto falando de como começou td, qnd surgiu os sentimento, e, se ela não queria nada , ela não poderia ter dito antes de tudo isso? Sei lá, estou no chão, coração despedaçado. Acho q não vou querer me relacionar novamente nem tão cedo 😪😪
submitted by alexander151911 to desabafos [link] [comments]


2020.10.26 01:45 pedropriotto Uma mensagem pra todos os solitários, auto estima baixa, envergonhados.

Leio muito nesse sub gente se colocando pra baixo, gente com problemas em ter amigos e se relacionar com pessoas, gente que tem a auto estima baixa, não curte seu próprio corpo, e eu acredito que talvez eu possa amenizar um pouco sua dor e tentar te dar uma solução.
Acontece que todos esses problemas se resolvem da mesma maneira;pois todos eles partem do mesmo princípio. Tem um psicólogo e professor de psico muito bom, que se chama Jordan Peterson. Ele diz o seguinte: se você quer que sua vida tenha significado, entenda que você pode sempre pode melhorar, em todas as áreas da sua vida . Faça uma autoavaliação e pense: oque eu posso mudar em mim, nos meus hábitos, no meu quarto, no meu comportamento, na minha saúde, no meu corpo que vai me deixar melhor doque eu estou hoje?
A partir daí, você toma as rédeas da sua vida. Isso é muito importante pra você desenvolver respeito consigo mesmo. Como vc vai deixar de ser envergonhado, como vc vai ter uma autoestima alta se você não se respeita?
Análise essas áreas da sua vida: relacionamento; corpo/ saúde; trabalho.
Eu era gordo e feio. pura e simplesmente isso. Eu culpava o mundo é me vitimizava, eu sentia pena de mim mesmo por ser do jeito que eu sou, esse modo de pensar é completamente sem esperança, pois eu achava que sempre seria assim. Acontece que a vida me fez perceber que quem faz as escolhas sou eu , e quem arca com as consequências delas também sou. A partir daí, eu mudei. Comecei a mudar, e estou em mudança. Mudei meu corpo. Fiquei bonito. As vezes você não é feio, vc só e gordo mesmo. Perder gordura ajuda na cara tbm kkk( e mewing, pesquise).
Enfim, comecei a me desenvolver muito, estudar sobre tudo oque envolve a melhora do indivíduo, tudo oque eu poderia estar fazendo para ser melhor que ontem. Hoje eu estou nessa fase de relacionamentos também. Eu sou bonito e sou gostoso, mas eu simplesmente não sei conversar com pessoas de maneira que eu consiga me conectar com elas, e eu literalmente nao tenho mais que 1 amigo verdadeiro. Não vou prolongar muito, mas caso alguém queira conversar sobre qualquer coisa, estou aqui
submitted by pedropriotto to desabafos [link] [comments]


2020.10.15 18:19 oVitor05 Minha mãe me contou a verdade sobre a "morte" do meu pai

Desde que me lembro, sempre fomos só eu minha mãe. Um pelo outro. Meu pai, segundo a história que minha mãe me contava, era um cara bem alto q a amou assim como amou a notícia de que seria pai. Não me lembro bem da história de como eles se conheceram, mas está fresca a história de como eles sempre estavam juntos, tanto que minha mãe começou a estudar numa escola próxima ao trabalho dele (mesma escola que estudo hoje). Mas depois de meu nascimento eles só se afastaram e perderam contato. Quando tinha 6/7 anos, lembro de minha mãe me informar que meu pai havia falecido, que ela tinha se encontrado com uma moça que ainda tinha contato com ele e que essa moça tinha passado a notícia. Como eu era muito pequeno, não tive reação alguma, também porque não tinha imagem alguma de meu pai na cabeça, não me lembrava dele e não tive convivência. Mas claro que a ciência de "meu pai está morto" estava e esteve em mim por muito tempo. Ela disse que ele morreu de parada cardíaca depois de ter um choque térmico. Agora, 11 anos após receber a notícia, comecei a fazer terapia psicológica, graças ansiedade que acredito que minha mãe mesmo me fez desenvolver, após algumas seções minha mãe foi comigo para conversar com a minha psicóloga. Foi uma conversa só entre minha mãe e a doutora, fiquei quieto a maior parte do tempo. Depois dessa seção minha mãe agendou a sua própria terapia tanto psicóloga quanto psiquiátrica. Depois de alguns dias, comecei uma conversa sobre o dia da morte de Ayrton Senna, perguntando se ela lembrava como foi, onde ela estava e tal. No decorrer da conversa, fiz perguntas sobre o dia da seção que fizemos juntos, pois ela havia dito a psicóloga coisas que nunca havia me dito. Coisas como:"Eu me afastei do (insira nome de seu pai) porque tinha medo do V (eu) gostar mais dele do que de mim". Ela me confirmou e me convidou para sentar mais perto dela. Ela ficou com a voz mais fina e olhava pouco em meus olhos. Ela começou a falar e em minha mente só vinha "eu não sou fruto de traição, eu não sou fruto de traição." Infelizmente o que eu não desejava, ela me confirmou. Ela não imaginava que meu pai já havia um relacionamento, nem menos outros filhos, já que eles estavam sempre juntos, viviam grudados. Ela me disse que foi a encontro da mulher de meu pai e que ela disse que desejava o mal dela e meu. Foi aí que minha mãe se afastou e só voltou a ter contato com o homem no dia de meu nascimento, convidando-o para assistir o parto, mas ele disse que não pudera ir. Depois minha mãe disse a ele para me registrar, coisa que ele fez, tenho o nome do ser do RG. Depois me explicar isso tudo, minha mãe disse também que meu pai, diferente do que ele me disse a 11 anos atrás, não está morto, pelo menos não que ela saiba. Eu fiquei meio desorientado, mas ela me explicou que fez isso porque meu pai, segundo ela, não me merece, e que ele não quer saber de mim (ela não disse nada disso de uma forma agressiva). Disse também da conversa que ela teve com ele, conversa essa que ela o revelou que estava grávida, coisa essa que minha vó a dizia que era possível, graças a um acidente que minha mãe veio a sofrer quando pequena. Meu pai ficou meio indignado porque ele acreditava que minha mãe não podia engravidar. Ela me contou que ele sugeriu o aborto, coisa que ela negou, e me disse que jamais passou por sua cabeça realizar. Eu juro que a entendo, eu a perdoei e a amo muito, ela vai fazer a terapia e acredito que teremos um relacionamento melhor. Obrigado pela leitura, precisava desabafar, sem julgamentos, pode deixar sua opinião sem ofender-me ou a minha mãe (meu pai sim, aquele safado). Muito obrigado.
~V
submitted by oVitor05 to desabafos [link] [comments]


2020.10.14 19:38 igorgom3s Desabafei pro meu melhor amigo que gosto dele e pedi pra ficar com ele.. +18a

Eae galera entao, sou novo aqui e esse e meu primeiro post. Recentemente a uns 3 meses eu conheci um menino (q vamos chama-lo de J). Quando eu vi ele pela a primeira vez eu ja meio q gostei dele, e entao investi na amz pra la na frente tentar algo com ele. Só que oque eu nao poderia imaginar é que nossa amz cresceu mt rapido, e hj ele e como um irmao para mim um irmao mais novo q nunca tive. E minha mente ta uma bagunca de sentimentos.
Vou explicar um pouco sobre minha sexualidade. Eu nao consigo ainda saber oque sou, tipo gosto de mulheres, pretendo ter um relacionamento ao ponto de construir uma familia e talz... Mas tem vezes que gosto de meninos, mas nao qualquer um. Sou gordinho e sempre fui, e sempre que vejo um gordinho tipo eu eu acabo olhando de outra forma (tenho mais atracao por esse tipo de pessoa). ja tive relacoes com ambos. Mas nao me relaciono com a pessoa do mesmo sexo se nao conheco a pessoa ou se nao tenho o minimo de afinidade. Nao me vejo namorando uma pessoa do mesmo sexo, ao ponto de morar junto e viver junto. A nao ser que eu AMO de mais essa pessoa, que esta sendo o caso com esse J. Cara se alguem souber oq sou agradeco kkkkkkk.
Mas no decorrer da nossa amz eu me apaixonei por ele, pelo o seu jeito simples e humilde de ser, pela as suas brincadeiras... enfim. kkkkk Quando eu estou com ele eu me sinto o maximo, ele é meu porto seguro. Quando ele veio em casa a primeira vez, conversamos mt, zuamos junto e em um desses momentos ele sentou no meu pc e foi jogar um jogo... entao pedi para mecher no celular dele e sem querer querendo eu vi um nuds no cell dele e pronto. Fiz de tudo para pegar aquele nuds pra mim e deixar guardado. E fiquei pensando cmg mesmo se ele era.
No passar dos dias e semanas juntos a nossa amz foi crescendo rapido e cada vez mais, comecei a ficar com crises de ansiedade por ter medo de perde-lo, medo de perder nossa amz. Quando me dava essas crises eu ficava ruim, nao conseguia dormir e quando estava com ele ficava na bad, triste. Ele até tentava me ajuda conversando e me incentivando maaaas o medo era maior. Era uma inseguraca de nao ter mais ele. Sentei com ele e disse tudo q estava sentindo, disse q estava com medo de perder ele por saber oque ele significava pra mim, o quanto eu gostava dele como amg (nao disse q realmente gostava dele). Ele foi super amigo e disse para eu ficar tranquilo que nossa amz por parte dele nunca ia acabar pq eu tambem significava mt pra ele.
Com o passar do tempo isso uns 2 meses, tive momentos incriveis com ele, brigamos por coisas bestas, choravamos nas brigas, mas sempre se resolvendo. Mas foi crescendo dentro de mim um sentimento chato por assim dizer. Quase em todo os momentos junto com ele eu sempre me imaginava sendo algo alem de um amg, me imaginava tendo momentos quentes com ele. Não podia brincar com ele de lutinha q ficava com um Tzao do caralho ao ponto de ter que sair de perto pra ele não perceber. Mas não podia falar isso para ele por ter medo de perde-lo.
Um belo dia a noite dps de passar o dia inteiro com ele triste, resolvi abrir o jogo.. resolvi fala pra ele o pq que eu ficava triste do nada, ficava fechado. Disse tudo oque estava sentindo por ele e o quando ele mexe cmg. Mais uma vez ele foi super compreensivo e me disse que ele não curtia, disse que não ia rolar. Mas que me entendia, entendia q sentimento a gente não escolhe com quem vai ter. Também disse que nossa amz continuaria a mesma.
Comecei a gostar mais ainda dele, o jeito dele de ser, cara isso mexe cmg. A humildade dele a carisma, a inocencia dele, enfim. Hoje eu ja não tenho mais esse medo de perde-lo, medo da nossa amz acabar. Mas é eu pesar naquilo.. ou sonhar com aquilo... nos dois juntos. Fico mal, triste... meu dia acaba. Ontem acordei um caco, pra baixo, e fiquei o dia inteiro pensando em uma forma de falar pra ele que queria ficar com ele. Queria fala pra ele tentar pelo menos uma vez... dar uma chance.
Não consegui falar em palavras isso pra ele, entao escrevi um puta texto e mostrei pra ele no meu celular, disse pra ele ler até o fim e me dar a resposta. No texto eu dizia o quanto ele realmente mexe cmg e que tenho esses pensamentos e sonhos que acaba cmg. Pedi pra nos tentermos fazer algo.. relacionado a sexo, para que eu realmente enxergasse de vez oque sinto por ele, se e só tzao ou amor.
Ele leu o texto todo e me chamou pra conversar, disse novamente o quando eu significo pra ele e que ele não quer me perder, mas disse não a respeito do meu pedido. Disse novamente que não gostava que não tinha atracao e que me entendia. E bom mais uma vez eu to um lixo, pq eu realmente gosto dele realmente queria mt ter algo com ele seja so momentania... prazer... ou algo duradouro.
Desculpe pelo o jeito q escrevi... esta sendo tudo novo isso que estou passando com ele... essa explosão de sentimentos. Não quero perde-lo de jeito nenhum e não me vejo sem ele nos momentos felizes e tristes. Mas tambem não quero sobrecarregar nossa amz, não quero ficar mais triste cmg e na presenca dele... não quero que ele se canse cmg. Mas tambem não sei oque faco para tirar de vez esses pensamentos chatos q tenho.
obrigado por lerem ate aq. se quiser me ajuda com algo serei mt grato
submitted by igorgom3s to desabafos [link] [comments]


2020.10.14 02:49 Krahmukoslovisk Porque não sou feliz?? *aviso de texto enorme*

Sempre que começo a estabilizar ou estagnar sempre me surge um sentimento cruel, de que eu estou preso a algo ruim, que ficarei pra trás. Tenho um desejo incontrolado de sair e começar tudo do zero. Porém quando estou em um lugar novo sinto falta do conforto e do carinho, me fazendo querer desistir. Hoje estou fazendo mestrado, trabalhando em uma ótima clinica e mesmo assim sinto um vazio no peito, uma dor e uma angustia, seriam esses os sintomas tardios do termino? Da realização de um “fim”. Pois é, em 2017 voltando do meu intercambio dos estados unidos eu tive um relacionamento rápido coisa de 3 meses, terminei e pra mim foi tudo bem, não havia história e não havia amor verdadeiro. Alguns meses depois me veio a ruiva mais linda que eu já vi (apesar de não ser ruiva natural caia muito bem nela, e nem se podia notar), eu me apaixonei na hora, mas pensei “não sou cara pra namorar, não consigo me conectar’. Eu não podia estar mais enganado. Os primeiros meses foram difíceis, ela havia terminado um relacionamento que não tinha superado, não queria se envolver, muito menos eu, afinal estava na faculdade e queria curtir tudo na mais absoluta esbornia. Porém o cheiro, o carinho e aquele sorriso me quebrou de uma forma tão intensa que eu não quis acreditar, foram períodos de muita felicidade até o momento que tudo virou de cabeça pra baixo, terminamos pois estávamos muito estranhos e eu não entendi muito bem mas não tive objeção, só que algo não estava certo pra mim eu não conseguia esquecer ela.
Fui atrás e descobri da boca dela uma traição, e que ela estava sendo coagida, foi agredida e teve que sair de onde morava por causa do sujeito. Foi o momento 1 da minha mudança, pois sempre fui um cara que abominou traição e quando a pessoa trai uma vez vai trair de novo, só que eu não consegui, não consegui olha pra ela e dizer que não queria olhar pra ela nunca mais, porque eu queria ela do meu lado, então, foi quando eu deixei ela morar comigo, dividir a casa com quem me traiu e quebrou minha confiança, chorava toda noite, porém não conseguia mandar ela embora não estava certo pra mim, e que apesar do que ela fez pra mim, o que fizeram com ela foi pior, voltaram as amigas dela contra ela, as próprias meninas de republica não ajudaram ela nem mesmo na parte da agressão. Eu resolvi dar mais uma chance pra ela e ó Deus daria mais umas 20, porque depois disso não tive o que reclamar, sempre atenciosa, se preocupava comigo, fez questão de conquistar minha confiança pouco a pouco até eu pensar em casar com ela, porém veio o ponto da virada numero 2.
Final da minha faculdade estava passando por problemas com os professores, a ponto de quase ter que ir no ministério publico para resolver um conflito, meu TCC estava um caco e eu estava a um pingo de ser reprovado no meu ultimo semestre, e isso é claro refletiu no relacionamento, brigávamos sempre pois estava apático a tudo, só conseguia comer e jogar, ela (com toda razão) se sentia abandonada, e eu não sabia se queria continuar namorando pois tudo na minha vida estava triste. Terminamos novamente, me consultei com um psiquiatra que me passou medicações e tirei um tempo para ficar em casa, tive crises de pânico, mas quando as medicações começaram a fazer efeito eu consegui fazer tudo, e ela, mesmo depois de ter terminado continuou ao meu lado, me ajudando e segurando minha onda diversas vezes, e no final eu percebi que estava em um momento horrível e pedi para voltar, voltamos. Então se inicia 2019 (teve um salto grande eu sei) quando sai da cidade onde fazíamos faculdade e fui para vila velha e ela ficou lá, novamente as coisas começaram a ficar estranhas, ela é a definição de paixão pra mim, intensa, sem medo, faz o que o coração manda e passar por cima de tudo para fazer o que acha certo, e eu não, sou acomodado e fico sempre a mercê do que os outros fazem ou deixam eu fazer, sou passivo nas atitudes. A distancia era grande, eu tinha uma rotina pesada e não tinha tempo de conversar por mensagem, estava muito dedicado ao meu estagio e ela precisava de mim, precisava conversar e precisava do namorado dela ali do lado dela, então brigávamos constantemente, então novamente outro termino. Só que dessa vez fui tão cego que não vi o que ela estava passando, os problemas que tive de final de faculdade ela também teve, e eu egoísta que sou, não soube ver isso, e quando me toquei do que havia feito, tentei de alguma forma ajudar, mas ela não me atendia, e quando a gente se falava ela só sabia chorar, e eu tapado que sou não sabia o que fazer e como agir.
Então começa o ponto de virada 3, terminei o meu estagio, voltei pra casa e arrumei um emprego em um consultório veterinário perto de casa(interior do ES divisa com o RJ), e ela voltou pra cidade dela Pedro canário (norte do ES, divisa com a Bahia) estávamos terminados porem anos antes compramos um congresso de veterinária juntos e ela disse que mesmo que terminássemos ela ia disponibilizar a casa (o pai dela mora em Curitiba) dela para eu ficar. Foi chegando a data de ir e eu não sabia se aquilo estava valendo ou não, então quando menos esperava, depois de semanas sem se falar ela pergunta quando que vou, eu que nem tinha preparado nada, entrei em choque e comecei a ver data de voo, e na minha cabeça pensava “vou conquistar essa mulher de novo”, e como já dizia Rubel “se for preciso eu pego um barco e eu remo por 6 como peixe pra te ver”, ela ama Rubel. E fui, eu nunca tinha sido recebido tão friamente, era simplesmente era apática a tudo que era relacionado a mim, eu pensei “não vai dar” e já fui baixando a expectativa mas não desisti, e então em um belo dia a noite em casa, a gente ficou entre choros de saudade e tristeza, amor e ódio. Mais uma vez resolvemos tentar, sempre claro corrigir os erros do passado, para não se repetir. Ela fez comigo um teste de perseverança pois estava devastada com o que fiz com ela (deixar ela sozinha no fim da faculdade segurando uma barra desgraçada) Eu arrumei um estagio para ela numa indústria de laticínios na minha cidade e ela foi pra lá. Eu percebia que ela era muito grossa e sempre discutia por coisas bestas, eu sabia que era pra me testar, segui firme. Próximo do estagio acabar, meus pais (que aliás achavam que estávamos separados, na verdade só fingiam) perguntavam quando ela ia embora, e eu não sabia como tocar nesse assunto porque eu também não queria que ela fosse, queria ficar com ela, mas então em janeiro de 2020 ela foi embora, para Curitiba na casa do pai dela. E pra minha sorte o que houve em 2020? Pandemia, comércios fechados, aeroportos fechados, caos no mundo, e a única forma da gente estar junto e por whatsapp, e quem é o insensível que não consegue ser atencioso a distância? Eu mesmo e assim levamos por alguns meses, planejando nos ver em pleno a pandemia, mas eu não tinha dinheiro, recebia muito mal (menos que um salário mínimo) e pra ir ver ela teria que pegar dinheiro com meus pais, que com certeza não me emprestariam, então era sempre uma decepção porque ela sempre vinha com promoções de voos e formas da gente se ver, e eu sempre realista quanto a nossa situação, foi então que em junho desse ano ela me ligou terminando tudo.
Aceitei, foi uma conversa ate que longa, ficou muito claro nossos motivos, mas o principal foi a distância (eu não consigo ser eu mesmo por mensagem, não sei o que acontece, no dia eu só vou fazendo as coisas e depois que me toco de ver celular mas as vezes já e tarde). No mesmo mês fiz minha inscrição no mestrado em Vila Velha aonde havia estagiado meses antes, acabei passando, não recebo bolsa, e estou tendo que trabalhar para pagar o mestrado e as contas (quase 2500 reais no mês) até ter uma bolsa, se houver ela. Mês de setembro fiz plantão todos os finais de semana e terças-feiras, de segunda a sexta estava na rotina do Hospital para aprender a fazer coisas novas em anestesia e a noite aula. Foi um mês desgraçado, mas foi um mês que não senti falta dela, ai nesse ultimo feriado, alguns amigos me chamaram para ir para a praia em Guarapari (cidade próxima) pra gente da uma curtida, então eu fui, e realmente me diverti muito, e no domingo eu acabei ficando com a amiga da namorada de um amigo meu (complicado mas acho que deu pra entender) e nesse momento, meus amigos, só me vinha uma coisa na cabeça, a Ruiva. Eu só dei uns beijos nela e nada demais aconteceu mas no outro dia eu fui embora, porque não estava me sentindo bem com a situação, cheguei em casa triste, com uma dor no peito enorme, e acabei mandando mensagem para ela, conversamos de boa, falamos como estavam as coisas e então vem o momento da virada 4, a Ruiva, conversando com umas pessoas arrumou um emprego numa cidade pequena aqui no espirito santo, e essa cidade meus amigos, é 70 km de onde eu moro, e agora eu não consigo trabalhar, comer, estudar e nem fazer nada, só penso em ir lá e chegar dizendo que vim remando por 6 meses e só pude chegar agora. Porém meu medo é eu ser a pessoa que nunca está feliz, que quando está bom quer mudar e quando muda sente falta do conforto. Inegavelmente eu a amo, e ela me ama também (foi dito isso na conversa) mas tanto ela quanto eu sabemos que amor nunca segurou e nunca vai segurar relacionamento, fico me perguntando, com a possibilidade de ir vê-la a cada 15 dias e trabalhando pra me sustentar, podendo fazer planos de vida, se daria certo. Antes vivíamos em momentos diferentes, mas agora estamos vivendo no mesmo momento, trabalhando e sendo adultos que moram fora de casa. Meu coração e meu corpo doem de medo de ignorar o que todas as fibras dizem que é ir ver ela esse final de semana, mas ao mesmo tempo morro de medo de estar sendo o maior egoísta desse mundo e me deixar levar por esse sentimento e acabar descobrindo que não consigo mudar e que não da mesmo para estarmos juntos. Nunca fui muito religioso, mas já rezei para Deus para ter sucesso, para ter dinheiro pra pagar minhas contas, agora peço que ignore tudo e me uma luz para onde seguir.
submitted by Krahmukoslovisk to desabafos [link] [comments]